31 de janeiro de 2012

Do Blog do Felipe Klamt: 'Flávio, visita de médico somente sem cafezinho'

Aos leitores do Blog reproduzo uma boa reflexão do amigo Felipe Klamt. Boa Leitura! Com Felipe Klamt O Ricardo Murad tenta de tudo, às vezes consegue marcar a sua passagem em algum cargo que exerce. Lamentavelmente deixa um rastro de desmandos e contas por acertar. Mais moço, como deputado estadual, chegou à presidência da assembléia, fez o que mais gosta gastando o dinheiro do poder legislativo em obras, reformou todo prédio do Egito, mantendo as formas de condutas iguais aos de sempre.No meio do imbróglio com a família Sarney correu para a prefeitura de Coroatá, da sua administração ficou umas praças reformadas, uma escola agrícola e a cara eleição do sobrinho que morava em São Paulo enquanto o Murad estorava o caixa. Nunca mais elegeu ninguém, nem sua filha. Foi candidato a governador por duas vezes, mais para dizer que de nada valia a sua cunhada, a Roseana. Nesse ínterim tentou vender a imagem de líder das oposições, virou chacota entre os movimentos da sociedade civil ligados aos partidos de esquerda. Ainda teve a taca bem dada como o candidato do Sarney a prefeito da capital, tudo para acalmar a sua incontinência emocional. Experimentou ser secretário metropolitano que gerou um relatório mais cabeludo que a mata amazônica, ficou o gosto de quero mais, quem está pagando é a saúde dos maranhenses.
Vendo que a Sarney não gestava tentou ser o governador, levou uma rasteira bem dada na eleição da assembléia, conseguiu perder para o Arnaldo Melo. Agora quer ser o porta-voz, melhor, o sisudo que chama os adversários para o confronto público.Determinou que os seus meninos blogueiros insistissem na provocação com o Flávio Dino para as visitas nas unidades de saúde. Ficou P da vida pelo simples recado do comunista de incentivo de trabalho para a cunhada e a torcida pelos 72 hospitais que deveriam ter ficado prontos em dezembro de 2009. Penso que o Dino pode, quando a agenda permitir, participar das espaçadas inaugurações, não para olhar o descabimento deste projeto de saúde, mas, para conseguir entender o comportamento de um instável homem de poder. Somente recomendo que quando visitar o dilapidado ex-hospital do servidor, o Carlos Macieira, tome cuidado para não tomar um cafezinho passado no infecto e gigante coador do Ricardo Murad. Com foto Felipe Klamt – Coador de Café – Hospital Carlos Macieira – São Luís – MA - 2010

Do Portal Vermelho: 'Em Cuba, Dilma condena bloqueio e reafirma parceria'

Ao visitar Cuba pela primeira vez desde que assumiu o governo brasileiro, a presidente Dilma Rousseff condenou o bloqueio imposto à ilha pelos Estados Unidos há 50 anos. Segundo Dilma, a melhor forma de o Brasil ajudar o país caribenho é furar esse bloqueio e continuar investindo em parcerias que também são estratégicas para o Brasil.
"Eu acredito que a grande contribuição que nós podemos dar aqui, a Cuba, é ajudar a desenvolver todo o processo econômico", disse. "A melhor forma de o Brasil ajudar Cuba é contribuir para acabar com esse processo, que eu considero que não leva a grande coisa, leva mais à pobreza das populações que sofrem a questão do bloqueio, a questão do embargo, do impedimento do comércio", disse. Segundo ela, que chegou a Cuba na segunda (30), a cooperação estratégica com Cuba é favorável aos dois países, pois em áreas como biotecnologia o estado caribenho exibe uma estrutura excepcional e competente, enquanto o Brasil pode aportar uma alta capacidade tecnológica. Depois de colocar uma oferenda floral no memorial dedicado a José Martí, herói nacional de Cuba, Dilma destacou que seu governo tem o compromisso de contribuir com o povo da ilha, que impulsiona um processo de atualização econômica. Dilma citou as iniciativas brasileiras em Cuba que ela considera estratégicas, como a política de crédito para compra de alimentos na ilha. Por meio de um crédito rotativo, o Brasil financia para Cuba a compra de produtos alimentícios brasileiros. Essa linha oferece US$ 400 milhões em crédito. Além disso, o programa federal Mais Alimentos financia a compra de máquinas e equipamentos para a produção de alimentos em Cuba. Nessa modalidade, o crédito oferecido ao país caribenho é de US$ 200 milhões, de acordo com informações da própria presidenta. "É impossível considerar correta a política de bloqueio de alimentos para um povo", enfatizou. Dilma também destacou a parceria para a ampliação e modernização do Porto de Mariel, estratégico para o comércio externo do país. "Trata-se de um sistema logístico de exportações de bens", disse. Dos cerca de US$ 900 milhões investidos no porto, o Brasil contribui com cerca de US$ 640 milhões. "Nós achamos que é fundamental que se criem aqui condições de estabilidade para o desenvolvimento do povo cubano", disse a presidente, que deixará a ilha nesta quarta, rumo ao Haiti. Havana e Brasília mantêm relação diplomáticas desde 1943 - interrompidas em 1964 e restabelecidas 22 anos depois - com laços que se fortaleceram a partir da chegada do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao governo, uma tendência que permanece com a atual gestão. O Brasil é hoje o segundo maior parceiro comercial de Cuba na América Latina, depois apenas da Venezuela. Atualmente, quase 700 jovens brasileiros estudam na ilha. Sem dupla moral Na entrevista coletiva em Cuba, Dilma destacou que os direitos humanos não devem ser usados como arma política. Para a chefe de Estado brasileira, a questão deve ser tratada de uma forma mais abrangente e não como ferramenta para criticar apenas certos países. "O mundo precisa se comprometer em geral. Não é possível fazer da política de direitos humanos só uma arma de interesse político e ideológico. O mundo precisa se convencer que é algo que todos os países do mundo têm de se responsabilizar, inclusive o nosso", disse a presidente. Dilma afirmou que desrespeitos aos direitos humanos ocorrem em todas as nações, inclusive no Brasil, e citou como exemplo as violações denunciadas na base norte-americana de Guantânamo. A questão dos direitos humanos é com frequência utilizada pelos detratores de Cuba, que, por outro lado, não fazem as mesmas cobranças a outros países, a exemplo dos Estados Unidos e suas práticas de tortura. "Quem atira a primeira pedra tem telhado de vidro. Nós no Brasil temos o nosso. Então eu concordo em falar de direitos humanos dentro de uma perspectiva multilateral", disse a presidenta, em coletiva de imprensa. "Não podemos achar que direitos humanos é uma pedra que você joga só de um lado para o outro. Ela serve para nós também", encerrou a presidente, negando-se a engrossar o coro do discurso anticubano. Com agências

Pastor Porto é terceira via em Imperatriz. Vitória depende de política de alianças

Em texto publicado no Facebook o Pastor Luís Carlos Porto, destaca que tem em mãos pesquisa para a sucessão na prefeitura de Imperatriz. A pesquisa foi publicADA NO JORNAL LOCAL 'CORREIO POPULAR' e feita pela empresa ESCUTEC nos dias 21 a 23 de Janeiro de 2012. Pastor Porto demonstra satisfação com os resultados da pesquisa: "Continuo em TERCEIRO LUGAR, mesma posição da pesquisa de dezembro." Diz. MAo mesmo tempo reclama: "O lamentável é a manchete do jornal, que coloca o cenário onde existem apenas os dois primeiros colocados (o ex-prefeito Ildon Marques e o atual prefeito Sebastião Madeira. Assim passa para o leitor a impressão de que não existem outros pré-candidatos. Também não colocam um cenário do terceiro colocado ( eu, pastor Porto )com os dois primeiros. Nem do quarto colocado ( Deputado Estadual Carlinhos Amorim ), com os dois primeiros. Apenas do quinto colocado ( Vereador Edmilson Sanches ). Por que? Será que um cenário onde aparecem apenas um dos dois mais bem colocados comigo, pode surgir uma situação desconfortável para os "favoritos". Pastor Porto aproveita para questionar: "Mesmo me considerando o menor de todos, gostaria de saber o que o nosso povo diria entre Madeira e Pastor Porto ou Ildon e Pastor Porto. Será que o meu terceiro lugar está incomodando?". Ao final Pastor Porto agradece ao povo de imperatriz por tê-lo com o menor índice de rejeição:"Agradeço ao povo de Imperatriz que tem a mim como o pré-candidato com MENOR REJEIÇÃO. A eleição em imperatriz será embolada como sempre foi. A diferença agora é que tem uma terceira via forte e com boa aceitação popular. Pastor Porto depende agora da política de alianças a ser costurada pelas forças políticas locais em disputa para entrar na parada com todo gás para vencer a eleição e mudar a rotina administrativa da imperatriz do tocantins. Veja os números: 1) Madeira ----------------------- 32,7 2) Ildon Marques ---------------- 29,9 3) Pastor Porto ------------------ 12,9 4) Carlinhos Amorim ------------ 9,0 5) Edmilson Sanches ----------- 8,8 6) Expedito Barroso ------------ 0,5 REJEIÇÃO Madeira--------------------- 31,3 Ildon------------------------ 25,9 Expedito------------------- 12,1 Carlinhos------------------- 9,1 Sanches-------------------- 6,8 Pastor Porto---------------- 4,6

30 de janeiro de 2012

Do Portal IG: "Só acredito no modelo socialista, é o único que pode salvar a humanidade", diz a cantora Beth Carvalho

Em entrevista ao jornalista Valmir Moratelli, do iG por ocasião do lançamento do CD de músicas inéditas “Nosso samba tá na rua” - dedicado a dona Ivone Lara, com canções sobre a negritude, o amor e o feminismo - a cantora Beth Carvalho é mordaz : “a CIA quer acabar com o samba. É uma luta contra a cultura brasileira. Os Estados Unidos querem dominar o mundo através da cultura”, diz a cantora, presidente de honra do PDT. Ig: Em seu novo CD, a letra “Chega” é visivelmente feminista. Por que é raro o samba dar voz a mulheres? Beth Carvalho: O mundo, não só o samba, é machista. Melhorou bastante devido à luta das mulheres, mas a cada cinco minutos uma mulher apanha no Brasil. É um absurdo. Parece que está tudo bem, mas não é bem assim. Sempre fui ligada a movimentos libertários. iG: De que forma o samba é machista? Beth Carvalho: A maioria dos sambistas é homem. Depois de mim, Clara Nunes e Alcione, as coisas melhoraram. O samba é machista, mas o papel da mulher é forte. O samba é matriarcal, na medida que dona Vicentina, dona Neuma, dona Zica comandam os bastidores da história. Eu, por exemplo, sou madrinha de muitos homens (risos). iG: A senhora é vizinha da favela da Rocinha. Como vê o processo de pacificação? Beth Carvalho: Faltou, por muitos anos, a força do estado nestas comunidades. Agora estão fazendo isso de maneira brutal e, de certa forma, necessária. Mas se não tiver o lado social junto, dando a posse de terreno para quem mora lá há tanto tempo, as pessoas vão continuar inseguras. E os morros virarão uma especulação imobiliária. iG: Alguns culpam o governo Leonel Brizola (1983-1987/1991-1994) pelo fortalecimento do tráfico nos morros. A senhora, que era amiga do ex-governador, concorda? Beth Carvalho: Isso é muito injusto. É absurdo (diz em tom áspero). Se tivessem respeitado os Cieps, a atual geração não seria de viciados em crack, mas de pessoas bem informadas. Brizola discutia por que não metem o pé na porta nos condomínios da Avenida Viera Souto (em Ipanema) como metem nos barracos. Ele não podia fazer milagre. iG: Defende a permanência de Carlos Lupi no Ministério do Trabalho? Beth Carvalho: Olha, sou presidente de honra do PDT porque é um título carinhoso que Brizola me deu, mas não sou filiada ao PDT. Não tenho uma opinião formada sobre isso, porque não sei detalhes. Existe uma grande rigidez a partidos de esquerda. Fizeram isso com o PCdoB do Orlando Silva, e agora fazem com o PDT. O que conheço do Lupi é uma pessoa muito correta. Eles deveriam ser menos perseguidos pela mídia. iG: Aqui na sua casa há várias imagens de Che Guevara e de Fidel Castro. Acredita no modelo socialista? Beth Carvalho: Eu só acredito no modelo socialista, é o único que pode salvar a humanidade. Não tem outro (fala de forma enfática). Cuba diz ‘me deixem em paz’. Os Estados Unidos, com o bloqueio econômico, fazem sacanagem com um país pobre que só tem cana de açúcar e tabaco. iG: Mas e a falta de liberdade de expressão em Cuba? Beth Carvalho: Eu não me sinto com liberdade de expressão no Brasil. iG: Por quê? Beth Carvalho: Porque existe uma ditadura civil no Brasil. Você não pode falar mal de muita coisa. iG: Como quais? Beth Carvalho: Não falo. Tem uma mídia aí que acaba com você. Existe uma censura. Não tem quase nenhum programa de TV ao vivo que nos permita ir lá falar o que pensamos. São todos gravados. Você não sabe que vai sair o que você falou, tudo tem edição. A censura está no ar. iG: Mas em países como Cuba a censura é institucionalizada, não? Beth Carvalho: Não existe isso que você está falando, para começo de conversa. Cuba não precisa ter mais que um partido. É um partido contra todo o imperialismo dos Estados Unidos. Aqui a gente está acostumada a ter vários partidos e acha que isso é democracia. iG: Este não seria um pensamento ultrapassado? Beth Carvalho: Meu Deus do céu! Estados Unidos têm ódio mortal da derrota para oito homens, incluindo Fidel e Che, que expulsaram os americanos usando apenas o idealismo cubano. Os americanos dormem e acordam pensando o dia inteiro em como acabar com Cuba. É muito difícil ter outro Fidel, outro Brizola, outro Lula. A cada cem anos você tem um Pixinguinha, um Cartola, um Vinicius de Moraes... A mesma coisa na liderança política. Não é questão de ditadura, é dificuldade de encontrar outro melhor para ocupar o cargo. É difícil encontrar outro Hugo Chávez. iG: Chávez é acusado por muitos de ter acabado com a democracia na Venezuela. Beth Carvalho: Acabou com o quê? Com o quê? (indaga com voz alta) iG: Com a democracia... Beth Carvalho: Chávez é um grande líder, é uma maravilha aquele homem. Ele acabou com a exploração dos Estados Unidos. Onde tem petróleo estão os Estados Unidos. Chávez acabou com o analfabetismo na Venezuela, que é o foco dos Estados Unidos porque surgiu um líder eleito pelo povo. Houve uma tentativa de golpe dos americanos apoiada por uma rede de TV. iG: A emissora que fazia oposição ao governo e que foi tirada do ar por Chávez... Beth Carvalho: Não tirou do ar (fala em tom áspero). Não deu mais a concessão. É diferente. Aqui no Brasil o governo pode fazer a mesma coisa, televisão aberta é concessão pública. Por que vou dar concessão a quem deu um golpe sujo em mim? Tem todo direito de não dar. iG: A senhora defende que o governo brasileiro deveria cassar TV que faz oposição? Beth Carvalho: Acho que se estiver devendo, deve cassar sim. Tem que ser o bonzinho eternamente? Isso não é liberdade de expressão, é falta de respeito com o presidente da República. Quem cassava direitos era a ditadura militar, é de direito não dar concessão. Isso eu apoio. iG: Por ser oriundo dos morros, o samba foi conivente com o poder paralelo dos traficantes? Beth Carvalho: Não, o samba teve prejuízo enorme. Hoje dificilmente se consegue senhoras para a ala das baianas nas escolas de samba. Elas estão nas igrejas evangélicas, proibidas de sambar. Não se vê mais garoto com tamborim na mão, vê com fuzil. O samba perdeu espaço para o funk. iG: Quem é o culpado? Beth Carvalho: Isso tem tudo a ver com a CIA (Agência Central de Inteligência dos EUA), que quer acabar com o samba. É uma luta contra a cultura brasileira. Os Estados Unidos querem dominar o mundo através da cultura. Estas armas dos morros vêm de onde? Vem tudo de fora. Os Estados Unidos colocam armas aqui dentro para acabar com a cultura dos morros, nos fazendo achar que é paranoia da esquerda. Mas não é, não. iG: O samba vai resistir a esta “guerra” que a senhora diz existir? Beth Carvalho: Samba é resistência. Meu disco é uma resistência, não deixa de ser uma passeata: “Nosso samba tá na rua”. Fonte: iG

Mídia Barrica dá ‘birola’ e quer que Flávio Dino e o povo do Maranhão visitem o que não existe

Agora lascou. Reproduzindo o discurso soberbo de Ricardo Murad, a cada vez mais surrada, desacreditada e raivosa mídia barrica quer que Flávio Dino visite os tais 72 hospitais prometidos pela governadora Roseana Sarney ainda quando assumiu o governo em 2009 após o golpe por via judiciária que derrubou Jackson Lago do governo. Há muito os prazos para a entrega dos hospitais para inauguração e entregue ao povo estourou. As empreiteiras ‘nelson’, ‘babau’ e ‘tchau’. O que fez o Secretário de Saúde no auge de sua esperteza? Entregou prédios com parede e telhado que chamou de Hospitais. Além disso, foi pedir socorro a Dilma para pelo menos entregar as Unidades de Pronto Atendimento, UPAS, para mascarar a gravíssima falta de saúde no estado e acalmar os ânimos da população que acreditou, votou e se lascou.
As UPAS, longe de serem obra e graça do governo estadual, são obras prometidas ainda na campanha da presidenta Dilma. A promessa era espalhar milhares dessas unidades de Pronto Atendimento pelo País. E assim está fazendo a Presidenta. Aqui no Maranhão, Dilma já inaugurou muitas UPAS e ainda existem muitas para serem entregues a população que vive à espera até hoje do cumprimento da promessa dos Hospitais feita por Roseana e o super-secretário naquilo que seria o ‘melhor governo de sua vida’.
Flávio Dino fez mais que certo. Não só cobrou como também disse que não podia “visitar hospitais que não existem.” É muito simples: quem deve apresentar a fatura dos hospitais é o governo do estado, este sim é quem tem a responsabilidade de dar uma resposta à população e não o Presidente da Embratur, Flávio Dino, que falou como um cidadão maranhense conhecedor das dores e agruras do povo que se sente também lesado pelo que foi prometido e até agora não cumprido. É complicado, mas é assim, ...

Coletivo de Cultura do PCdoB discute Cultura e desenvolvimento com Fundação Maurício Grabois

O Partido Comunista do Brasil de São Luís, por meio do Professor Joaquim Kicil (do IFMA) convida o Blog para discutir políticas de cultura no contexto de um Projeto de Desenvolvimento para o Maranhão, na terça-feira, dia 31 de janeiro às 18 horas, na Rua do Norte, 228 (Praça da Alegria), Centro. Javier Alfaya é Diretor Cultural da Fundação Maurício Grabois, Coordenador do Coletivo Nacional de Cultura do PCdoB, ex-presidente da UNE, ex-vereador de Salvador e ex-deputado estadual da Bahia é o convidado para debater com os artistas e produtores culturais do Maranhão, além de Joãozinho Ribeiro, poeta, compositor e ex-secretário de cultura de São Luís e do Maranhão. No mesmo dia, às 15 h, Javier reúne-se com a militância e a direção do partido, na sede do PCdoB ali na Praça da Alegria.

A questão central é que PSB, PCdoB, PPS, PP, PTC e parte importante do PT vencem a eleição sim

Foto: Felipe Klamt A reunião entre os pré-candidatos à prefeitura de São Luís mostrou uma coisa: é esse grupo que está no comando do processo eleitoral hoje na capital do estado. Quer queiram quer não o tempo em que as coisas se decidirão será definido por esses 05 (6) partidos. PSB, PCdoB, PPS, PP, PTC, pelo menos metade do PT e boa parte do PDT. A autoridade que essa coalização possui para agir assim é consistência dos números de pelo menos três pesquisas solicitadas exatamente pelos três principais agrupamentos que disputam em 2012 a cadeira número 01 do Palácio de Lá Ravardiéri. O PMDB tem sua pesquisa e sabe da dura realidade dos seus pré-candidatos até o momento apresentados. Com essas dificuldades, e ainda o fracasso administrativo em nível estadual, tornam a situação ainda mais dramática. Resta a esse grupo o uso já batido do blefe, a ação agressiva e orquestrada da mídia alinhada ao governo contra os adversários e a publicidade soberba. Os integrantes da aliança PSDB e PDT fizeram o mesmo e os números não são nada animadores, dispondo o atual prefeito Castelo, candidato a reeleição, com altíssimos índices de rejeição. Também figura como fator importante para a constatação desses números do tucano-pedetista o desgaste da gestão, a falta de planejamento e, sobretudo, a incompetência administrativa. E eles sabem que já não há mais tempo para reverter números tão sombrios. Já as informações que chegam da coalizão liderada pelo PCdoB, composta por PSB, PPS, PTC, PP e o PT (pelo menos boa parte dele) além do PDT e muitos de suas lideranças, tornam essa eleição de 2012 ainda mais interessante. É que os números apontam que esse grupo unido em torno de uma candidatura consegue atingir mais de 50% das intenções de votos dos eleitores da cidade em todos os cenários. Isso é fato. Por isso mesmo é que têm sim o poder de ditar o tempo do processo. Isso tem irritado os donos do poder e seus lacaios bajuladores. É complicado assim mesmo ...

27 de janeiro de 2012

Dívida pública cresce 10% em 2011 e atinge R$ 1,866 trilhão

Brasília – A Dívida Pública Federal (DPF) cresceu 10,17% em 2011 e encerrou o ano passado em R$ 1,866 trilhão. O número foi divulgado hoje (27) pelo Tesouro Nacional, que apresentou o resultado do Governo Central – Tesouro, Previdência Social e Banco Central – no ano passado. O crescimento na DPF foi puxado pela dívida mobiliária (em títulos) interna, que passou de R$ 1,603 trilhão em dezembro de 2010 para R$ 1,783 trilhão em dezembro de 2011. Em termos percentuais, a alta foi 11,17%. Apesar da alta do dólar no segundo semestre, a dívida pública externa caiu 7,55%, de R$ 90,096 bilhões no fim de 2010 para R$ 83,292 bilhões no fim do ano passado.
Apenas em dezembro, a dívida mobiliária interna subiu R$ 30,447 bilhões. Contribuiu para essa alta a emissão de R$ 15 bilhões em títulos para o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) no mês passado. Por meio desse mecanismo, o Tesouro empresta os papéis ao banco, que os revende no mercado e amplia o capital para financiar projetos de empresas conforme a necessidade. Em todo o ano passado, o BNDES recebeu R$ 45 bilhões do Tesouro. No início de janeiro, mais R$ 10 bilhões foram injetados na instituição, o que completou a ajuda de R$ 55 bilhões autorizada por medida provisória em março de 2011. Apesar de ter caído no acumulado de 2011, a dívida externa subiu no mês passado, de R$ 80,925 bilhões no fim de novembro para R$ 83,292 bilhões no fim de dezembro. Os números completos da Dívida Pública Federal no ano passado serão divulgados na próxima segunda-feira (30). Nesse documento, o Tesouro Nacional apresentará mais detalhes, como a composição e o prazo médio da DPF. Por meio da dívida pública, o governo pega emprestado recursos dos investidores para honrar compromissos. Em troca, se compromete a devolver os recursos com alguma correção, que pode ser definida com antecedência, no caso dos títulos prefixados, ou seguir a variação da taxa Selic (juros básicos), da inflação ou do câmbio. Fonte: Agência Brasil

Enquanto Ricardo vocifera féu contra Dino ele deveria explicar: 'Irmão de juiz que cuidará do processo de cassação é secretário no governo Roseana'

A governadora Roseana Sarney (PMDB) e seu vice, Washington Oliveira (PT), entraram com um mandado de segurança no Tribunal Regional Eleitoral para tentar impedir a realização da audiência nesta sexta-feira que ouvirá as testemunhas de defesa no processo em que o ex-governador José Reinaldo Tavares (PSB) pede a cassação do mandato, por corrupção eleitoral e abuso de poder político e econômico na eleição de 2010. Roseana e Washington protocolaram ontem o terceiro recurso para suspender a audiência, afastar o juiz federal Nelson Loureiro dos Santos, membro efetivo do TRE-MA, e fazer o processo voltar para o juiz Sérgio Muniz. Contra o voto do juiz federal Nelson Loureiro, a corte do Tribunal Regional Eleitoral decidiu nesta quinta-feira (26) devolver o processo de cassação da governadora Roseana Sarney e do vice, Washington Oliveira, ao juiz Sérgio Muniz, para que ele marque nova data da audiência das testemunhas de defesa, conforme determina a carta de ordem do ministro do Tribunal Superior Eleitoral, Arnaldo Versiani. A informação é do jornalista Jorge Vieira. A Carta de Ordem foi inicialmente distribuída para o próprio juiz Sérgio Muniz, que a reteve por 60 dias sem providenciar a realização da audiência. Entende-se agora, portanto, o real motivo das manobras do grupo Sarney para fazer com que o processo caísse novamente nas mãos do juiz Sérgio Muniz. ‘Coincidentemente’, Sérgio Muniz vem a ser filho do secretário adjunto da Casa Civil do governo de Roseana, Antônio José Muniz. Este foi nomeado para o cargo pela governadora Roseana Sarney no dia 29 de abril de 2011, conforme publicação do Diário Oficial do Estado. A GOVERNADORA DO ESTADO DO MARANHÃO, no uso de suas atribuições legais, RESOLVE: Nomear ANTÔNIO JOSÉ MUNIZ para o cargo em comissão de Subsecretário, Símbolo Isolado, da Casa Civil. PALÁCIO DO GOVERNO DO ESTADO DO MARANHÃO, EM SÃO LUÍS, 29 DE ABRIL DE 2011, 190º DA INDEPENDÊNCIA E 123º DA REPÚBLICA. ROSEANA SARNEY Governadora do Estado do Maranhão LUIS FERNANDO MOURA DA SILVA Secretário-Chefe da Casa Civil Fonte: Blog do Jonh Cutrim

26 de janeiro de 2012

Flávio Dino desabafa e manda Roseana governar

Flavio Dino está firme e convicto de seus propósitos oposicionistas Em texto postado agora a pouco no Facebook, o Presidente da Embratur, Flávio Dino, fez uma espécie de desabafo. Escreveu Flávio: “A oligarquia decadente manda me agredir TODOS OS DIAS no Maranhao. Por que tanto ódio ? Será porque não me rendo nem me vendo ? À oligarquia decadente sugiro que trate de governar. Que tal começar pelo funcionamento dos 72 hospitais.” Principal nome destacado no projeto de mudança em curso hoje em Sâo Luís e no estado, Dino tem reclamado da forma odienta e não por menos agressiva com que a oligarquia e seus bajuladores tem destinado a sua pessoa. Como diz o meu amigo Jonh Cutrim, os ‘barricas’ e seus assessores de imprensa infestam seus blogs com ataques diários ao Presidente da Embratur, destilando todo o ódio contra aquilo que representa a mudança histórica que todos esperam. Reunião com partidos acontece amanhã (27). Flávio Dino será o anfitrião de reunião que acontece amanhã (27) a partir das 14h, no Auditório do Hotel Holiday in, em São Luís. Na reunião são esperadas as presenças de Tadeu Palácio (PP), Eliziane Gama (PPS), Roberto Rocha (PSB), Bira (PT) e representante do Deputado Federal, Edvaldo Holanda Jr., e outras lideranças, que se empenham em construir a unidade fundamental para enfrentar e derrotar a oligarquia e seus candidatos em 2012 e em 2014.

25 de janeiro de 2012

Do Blog do jonh Cutrim: 'Entidades vão exigir julgamento de Roseana no TSE; Twittaço ocorre nesta quinta'

Entidades da sociedade civil iniciaram a organização de um movimento de acompanhamento do processo em que a governadora Roseana Sarney e seu vice, Washington Luiz Oliveira, são acusados de crimes eleitorais no pleito de 2010. As entidades vão cobrar a celeridade do processo para julgamento no TSE. O movimento foi articulado a partir da constatação de que os advogados da governadora Roseana Sarney estão atuando fortemente para atrasar ao máximo o processo. Exemplo é a tentativa de suspender a audiência para ouvir as testemunhas da defesa marcada para a próxima sexta, 27. A governadora Roseana Sarney (PMDB) e seu vice, Washington Oliveira (PT), entraram com um mandado de segurança no Tribunal Regional Eleitoral para tentar impedir a realização da audiência que ouvirá as testemunhas de defesa no processo em que o ex-governador José Reinaldo Tavares (PSB) pede a cassação do mandato, por corrupção eleitoral e abuso de poder político e econômico na eleição de 2010. Roseana e Washington protocolaram nesta quarta-feira (25) o terceiro recurso para suspender a audiência, afastar o juiz federal Nelson Loureiro dos Santos, membro efetivo do TRE-MA, e fazer o processo voltar para o juiz Sérgio Muniz, que é filho do secretário adjunto da Casa Civil do governo de Roseana, Antônio Muniz. O Processo que pede liminar ao mandado de segurança para evitar a realização da audiência das testemunhas de defesa no processo de cassação de Roseana e do vice Washington foi distribuído justamente a Sérgio Muniz, que, por razões óbvias, deverá conceder a liminar, conforme informa o jornalista Jorge Vieira. A Carta de Ordem foi inicialmente distribuída para o juiz Sérgio Muniz, que a reteve por 60 dias sem providenciar a realização da audiência. Depois de remetida ao TSE foi novamente encaminhada ao TRE para realização da audiência no prazo de 60 dias, tendo desta vez sido distribuída para o Nelson Loureiro. Portanto, contra a tentativa de golpe para impedir a tramitação do processo de cassação de Roseana que o grupo Sarney está tentando dar através de manobras autoritárias, no intuito de evitar que pelo menos se julgue a atual governadora, à sociedade promoverá, nesta quinta-feira (26), um protesto na internet: o Twittaço com a Tag #CassaRoseana! Este será apenas o primeiro passo. Fonte: Blog do Jonh Cutrim

Igor Fuser, Doutor em Ciência Política, fala sobre 'a batalha da Síria'

O Plano estadunidense usa como disfarce os ideais democráticos da Primavera Árabe e uma falsa preocupação humanitária. Em pouco mais de uma década, a aliança imperialista liderada pelos Estados Unidos já invadiu três países do contexto geopolítico do Oriente Médio – o Afeganistão, o Iraque e a Líbia – e está a caminho de mais uma aventura militar. O alvo, agora, é a Síria. Assim como na operação que culminou com a derrubada e assassinato de Kadafi, o plano estadunidense usa como disfarce os ideais democráticos da Primavera Árabe e uma falsa preocupação humanitária. O objetivo é claro: derrubar o governo de Bashir Assad e impor, no seu lugar, um regime alinhado aos interesses dos EUA e de Israel. Para entender o que está em jogo na Síria, é necessário enxergar além da campanha midiática que apresenta a situação, de forma distorcida, como um embate entre manifestantes pacíficos e um Estado brutal. Os primeiros protestos, de fato, expressavam um genuíno anseio de liberdade. Esse movimento logo se esgotou – em parte, devido à repressão, mas também pelo apoio indiscutível de grande parte da população ao regime de Assad. Na fase presente, as autoridades se defrontam com grupos armados que já mataram centenas de pessoas – soldados, policiais e civis. Esses opositores, que recebem dinheiro, armas e treinamento do exterior, recusaram a proposta do governo de negociar uma abertura política. O verdadeiro motivo da campanha estadunidense contra a Síria não são os defeitos do regime lá existente e sim a firme atitude dos seus governantes em oposição aos planos ocidentais de domínio do Oriente Médio. O governo de Damasco é peça essencial de um eixo antiimperialista que inclui o Irã, a resistência palestina e os nacionalistas libaneses do Hizbollah. Sua deposição, no atual contexto, fortaleceria o expansionismo de Israel e as monarquias feudais do Golfo Pérsico. Os progressistas do mundo inteiro devem afastar qualquer ilusão de que forças democráticas ou antiimperialistas chegarão ao poder em Damasco de carona nos bombardeios da Otan. A geopolítica global é um jogo pesado, sem lugar para a ingenuidade. *Igor Fuser é jornalista e doutor em Ciência Política pela Uiversidade de São Paulo. Fonte: Brasil de Fato

24 de janeiro de 2012

Mundo terá 200 milhões de desempregados em 2012, diz OIT

Este ano o número de desempregados no mundo chegará a 200 milhões, mas pode chegar a 204 milhões se a desaceleração da economia se aprofundar e o crescimento mundial ficar abaixo de 2%. As informações foram divulgadas nesta segunda-feira (23) pela OIT (Organização Internacional do Trabalho). Os dados fazem parte do relatório Tendências Mundiais do Emprego 2012, que prevê diferentes cenários em função do crescimento, estagnação ou piora da economia mundial. O cenário base da OIT prevê que o número de desempregados em 2012 será de 200 milhões e que aumentará até 206 milhões em 2016, uma taxa que permaneceria sem variações em torno de 6%. No caso de recessão, esse número dispararia para 204 milhões nesse ano e 209 milhões até 2013. Se a economia se recuperar, especialmente na Eurozona, o prognóstico seria de 199 milhões em 2012, o que não alteraria a taxa de desemprego de 6%. Estes números, no entanto, não refletem um fenômeno crescente, o dos desenganados: pessoas que deveriam fazer parte da população ativa e que não apenas não estão empregadas como deixaram de buscar trabalho, pois acham que o mercado não tem um lugar para elas. A OIT calcula que existam 29 milhões de desenganados no mundo, o que equivale a 15% do total de desempregados. Por isso, a taxa mundial de desemprego, na realidade, seria de 6,9%. Por regiões, em 2012 a taxas de desemprego ficará em 8,5% nos países desenvolvidos; em 7,2% na América Latina e no Caribe; em 4,1% na Ásia Oriental (incluída a China); em 4,7% no Sudeste Asiático; em 3,8% no sul da Ásia (incluindo a Índia); em 10,2% no Oriente Médio; em 10,9% no norte da África; e em 8,8% na África Subsaariana. Crise Do déficit de 200 milhões de empregos, 27 milhões podem ser atribuídos à crise a contar de 2007. A OIT calculou em 500 mil os postos de trabalho destruídos ou não criados durante os últimos dois anos. A organização considera que o maior desafio é a criação de 600 milhões de novos empregos, 200 milhões para cobrir o déficit e mais 40 milhões anuais. "O número é muito ambicioso porque estamos falando da necessidade de serem criados 400 milhões de bons postos de trabalhos e empregos decentes só para poder satisfazer a nova força de trabalho", disse em entrevista coletiva José Manuel Salazar-Xirinachs, diretor-executivo do setor de Emprego da OIT. "Sabemos que é um desafio muito grande, infelizmente as perspectivas não são muito boas", acrescentou. Os jovens são os mais afetados pela crise, já que têm quase três vezes mais possibilidade de estarem parados do que os adultos. Além disso, entre essa parcela da população existem 6,4 milhões de desenganados. Segundo os dados da OIT, em 2011, 74,8 milhões de jovens estavam desempregados, quatro milhões a mais que em 2007. Por outro lado, em nível mundial se estima que o número de trabalhadores em vulnerabilidade no emprego é de 1.520 milhões, um aumento de 136 milhões desde 2000 e de quase 23 milhões desde 2009. Diante desta situação, a OIT propõe quatro ações: coordenar as políticas fiscais, reparar e regular o sistema financeiro, aplicar medidas que se centrem na economia real e encorajar o setor privado para que invista. Tudo isto, sem comprometer a estabilidade fiscal, mas aplicando políticas de estímulo ao invés de medidas de austeridade. "Os movimentos atuais em direção a políticas de austeridade vão piorar os problemas do mercado de trabalho. A experiência demonstra que é preciso investir na criação de emprego e estimular o investimento", conclui o estudo. Fonte: CTB

CTB condena ação truculenta da PM paulista junto à comunidade de Pinheirinho

A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil – CTB classifica como inaceitável a truculência demonstrada neste domingo (22) pela Polícia Militar de São Paulo, durante a ação de reintegração de posse do terreno de Pinheirinho, comunidade localizada na cidade de São José dos Campos, na qual viviam cerca de seis mil pessoas. A ação demonstra, mais uma vez, a completa irracionalidade do governo estadual, comandado pelo PSDB desde 1995, no que se refere à interlocução com movimentos populares. A violência dos policiais não respeitou sequer a presença de mulheres, idosos e crianças no local, todos atingidos pelo gás lacrimogêneo, balas de efeito moral, cassetetes e outros artefatos. Assim como na truculenta tentativa de expulsar do centro da cidade de São Paulo os viciados em crack, o governador Geraldo Alckmin mais uma vez deixa claro que, sob sua gestão, os problemas de ordem social continuarão sendo “resolvidos” a partir de ações truculentas – para o deleite da minoria reacionária que habita o estado e aplaude tal política.
Para a CTB, o governo paulista também ignorou os esforços do governo federal para se chegar a um acordo sobre a posse de Pinheirinho, bem como a decisão da Justiça Federal sobre o adiamento da reintegração de posse. Diante de tais fatos, a CTB questiona: quem será responsabilizado pelas cenas de violência que todo o Brasil acompanhou? Que saída será encontrada para solucionar o problema de moradia dos moradores de Pinheirinho? A CTB se soma às inúmeras entidades que se solidarizaram aos moradores atacados pela PM neste domingo, e ratifica seu empenho no sentido de se criar outro tipo de relação entre o governo de São Paulo e os movimentos sociais do estado. Basta de violência! Basta à criminalização dos movimentos populares em todo o Brasil! Direção Nacional da CTB São Paulo, 23 de janeiro de 2012 Fonte: CTB

23 de janeiro de 2012

PCdoB confirma reunião com pré-candidatos a prefeito dia 27

O Comitê Municipal do PCdoB em São Luis confirmou ontem a realização de uma reunião dia 27 com os pré-candidatos a prefeito Flávio Dino(PCdoB), Tadeu Palácio(PP), Roberto Rocha(PSB), Eliziane Gama(PPS), Edvaldo Holanda Júnior(PTC) e Bira do Pindaré(PT). A reunião contará também com a presença dos presidentes dos partidos e lideranças que defendem uma candidatura a prefeito da capital de oposição a João Castelo e também ao grupo Sarney.
De acordo com o presidente do PCdoB, Márcio Jerry, o objetivo da reunião é manter o diálogo entre os partidos e pré-candidatos buscando a formulação de uma proposta comum para a cidade. “Não estamos inaugurando o debate e sim dando seqüência a muitas conversas realizadas ao longo do ano passado. Agora vamos buscar um afunilamento, dando o tempo necessário para que o diálogo seja produtivo e capaz de apontar uma alternativa viável para São Luís e para o Maranhão em 2014”, declarou.
Os pré-candidatos devem acertar uma agenda comum de debates pelo menos até março, quando o cenário eleitoral já estiver mais claro e permitir tomadas de decisões sobre candidaturas e composições. “Como diz o Roberto Rocha nós temos que respeitar o tempo da política, não podemos atropelar o processo”, esclareceu Jerry quando indagado sobre quando será tomada uma decisão final acerca de candidaturas. Fonte PCdoB

Juiz nega pedido de Roseana Sarney e mantém audiência para dia 27

O juiz federal Nelson Loureiro dos Santos, membro efetivo do TRE Maranhão, negou ontem o pedido formulado pelo vice-governador Washington Oliveira para suspender a audiência marcada para o próximo dia 27 em que serão ouvidas as testemunhas de defesa no processo em que ele e a governadora Roseana Sarney são acusados de abuso de poder político e econômico nas eleições de 2010. Para o juiz não houve qualquer irregularidade na definição da data para a audiência nem na tramitação do processo. Ele refutou as alegações de que a redistribuição da Carta de Ordem expedida pelo TSE, após ter expirado o prazo de 60 dias para o cumprimento, tenha acarretado alguma nulidade.”Ao se examinar a tramitação da presente Carta de Ordem verifica-se que sua redistribuição foi medida que se impôs”, escreveu Nelson Loureiro. A Carta de Ordem foi inicialmente distribuída para o juiz Sérgio Muniz, que a reteve por 60 dias sem providenciar a realização da audiência. Depois de remetida ao TSE foi novamente encaminhada ao TRE para realização da audiência no prazo de 60 dias, tendo desta vez sido distribuída para o Nelson Loureiro. O indeferimento do pedido de suspensão frustra a estratégia da defesa dos acusados Roseana Sarney e Washington Oliveira, que querem atrasar ao máximo a tramitação do processo. Na avaliação de advogados que acompanham o caso existe uma convicção formada de que a apreciação do processo no TSE tem grandes chances de resultar na cassação da governadora e seu vice. Vice-governador Washington Oliveira ingressou na sexta feira com pedido para suspender a audiência que ouvirá testemunhas no processo em que ele e Roseana Sarney são denunciados por abuso de poder político e econômico. Fonte: www.vermelho.org.br

20 de janeiro de 2012

Ex-presidente da SBPC é nomeado ministro da C,T&I do Brasil

O escolhido pela presidente Dilma Rousseff para comandar o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) é o ex-presidente da SBPC Marco Antonio Raupp. Ele substituirá Aloizio Mercadante que assumirá a pasta da Educação. Fernando Haddad, seu antecessor, deixa o governo para disputar, pelo PT, o cargo de prefeito de São Paulo na eleição municipal deste ano. Raupp tem perfil estritamente técnico. Graduado em física pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, é PhD em matemática pela Universidade de Chicago e livre-docente pela Universidade de São Paulo (USP). Foi pesquisador titular do Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Como docente, atuou no Instituto de Matemática e Estatística da USP (IME/USP) e na Universidade de Brasília (UnB). Já dirigiu várias instituições da área de C,T&I, a exemplo do Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC), do Inpe e do Instituto Politécnico da Universidade do Rio de Janeiro (IPRJ/Uerj). Nos últimos anos, trabalhou como diretor-geral do Parque Tecnológico de São José dos Campos, SP, e desde março de 2011 estava à frente da Agência Espacial Brasileira (AEB). Raupp é membro titular da Academia Internacional de Astronáutica (IAA). Além da SBPC, foi presidente da Sociedade Brasileira de Matemática Aplicada e Computacional (SBMAC). Entre os títulos que recebeu destacam-se o de Comendador pela Ordem do Rio Branco, do Ministério das Relações Exteriores, e de Grão-Cruz pela Ordem Nacional do Mérito Cientifico, do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Veja abaixo nota divulgada para a imprensa referente à sua posse: Recebo como uma distinção especial o convite da presidente Dilma Rousseff para assumir o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, num momento fundamental da sua evolução. Com 40 anos de militância nas atividades cientificas e tecnológicas, como pesquisador e gestor de instituições da área, considero uma honra e um enorme desafio a nova missão que me é confiada. Tenho absoluta consciência da exigência sem precedentes para que a ciência, a tecnologia e a inovação contribuam de forma essencial para o desenvolvimento social e econômico do Brasil. Para dar cumprimento a essa missão, espero contar com a participação ativa das comunidades científica, tecnológica e empresarial, e com o apoio das equipes que compõem o Ministério. Também muito me honra suceder o ministro Aloizio Mercadante, a quem desejo a continuidade e o avanço do êxito alcançado pelo professor Fernando Haddad à frente do Ministério da Educação. Fonte: SBPC

18 de janeiro de 2012

Servidores Públicos lançam campanha pela devolução do Hospital Carlos Macieira

SERVIDORES PÚBLICOS LANÇAM CAMPANHA PELA DEVOLUÇÃO DO HOSPITAL CARLOS MACIEIRA Quinze sindicatos e associações de servidores públicos estaduais lançam hoje (dia 19) a partir das 8h30, na praça Deodoro (em frente à Biblioteca Pública), a campanha “O Hospital Carlos Macieira é nosso!”. As entidades criticam a decisão do Conselho Superior do Fundo Estadual de Pensão e Aposentadoria (Consup) que, no dia 5 de maio de 2011, transferiu o antigo Hospital do IPEM para o âmbito da Secretaria de Estado da Saúde (SES) e terceirizou o atendimento ao funcionalismo, com o aluguel de outro estabelecimento. Uma das críticas é de que “novo” hospital do servidor está localizado em área muito mal servida de transporte público e que enfrenta dificuldade de acesso, mesmo para quem mora em comunidades vizinhas. A unidade de saúde alugada fica na comunidade Mata, município de São José de Ribamar. Já o Hospital Carlos Macieira fica entre os bairros Renascença II e Calhau. Os dirigentes das entidades também dizem que a decisão do governo foi unilateral, porque os vários segmentos do funcionalismo não foram ouvidos. No Consup, há apenas um representante dos trabalhadores. O Hospital Carlos Macieira existe pela contribuição mensal, há décadas, de mais de 100 mil servidores que tem desconto compulsório em seus contracheques. Com isso formou-se um FUNBEM (Fundo de Benefícios dos Servidores Públicos do Estado do Maranhão) para assegurar atendimento especial equivalente a um plano de saúde. A campanha terá, inicialmente, como instrumento de mobilização um abaixo-assinado e reivindicará o restabelecimento do atendimento dos servidores pelo Hospital Carlos Macieira. ENTIDADES QUE ASSINAM A CONVOCAÇÃO Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) Nova Central Sindical dos Trabalhadores (NCST) Federação dos Servidores Públicos do Estado do Maranhão (FESEP) Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Maranhão (SINPROESEMMA) Sindicato dos Policiais Civis do Maranhão (SINPOL) Sindicato dos Servidores da Justiça do Maranhão (SINDJUS-MA) Sindicato dos Servidores do Sistema Penitenciário do Estado do Maranhão (SINDSPEM) Associação dos Agentes e Inspetores Penitenciários do Estado do Maranhão (AAGIPEM) Associação dos Militares do Corpo de Bombeiros do Maranhão (ASMB) Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar de Imperatriz e Açailândia (ARCSPMIA) Associação dos Policiais Militares de Timon (ASPOM) Associação dos Servidores Públicos Militares do Maranhão (ASSEPMMA) Sindicato dos Servidores de Estado da Saúde do Maranhão (SINDSESMA) Sindicato dos Motoristas Oficiais do Estado do Maranhão (SIMOEMA) Sindicato dos Cirurgiões Dentistas do Maranhão (SINCIDEMA)

Planalto confirma saída de Haddad que será substituído por Mercadante no Ministério da Educação

Brasil- O ministro da Educação, Fernando Haddad, vai deixar o ministério na próxima semana e será substituído pelo ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Aloizio Mercadante. O lugar de Mercadante será ocupado pelo presidente da Agência Espacial Brasileira (AEB), Marco Antônio Raupp. As mudanças foram confirmadas hoje (18) pelo Palácio do Planalto. Haddad deixa o governo para concorrer à prefeitura de São Paulo. Em nota, o ministro é elogiado pelo trabalho à frente do MEC, que comanda desde 2005, ainda no governo do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
“A presidenta da República, Dilma Rousseff, agradece o empenho e a dedicação do ministro Haddad à frente de ações que estão transformando a educação brasileira e deseja a ele sucesso em seus projetos futuros. Da mesma forma, ressalta o trabalho de Mercadante e Raupp nas atuais funções, com a convicção de que terão o mesmo desempenho em suas novas funções”, diz a nota da Secretaria de Comunicação da Presidência da República. Haddad, Mercadante e Raupp estarão na primeira reunião ministerial de 2011, marcada para segunda-feira (23). No mesmo dia, Haddad ainda comandará a cerimônia que marcará a meta de 1 milhão de bolsistas atingida pelo Programa Universidade para Todos (ProUni). As exonerações e nomeações serão publicadas no Diário Oficial da União de segunda (23) ou terça-feira (24). A posse e transmissão dos cargos estão previstas para terça-feira. Fonte: Agencia Brasil

Pablo Neruda assassinado? O que sabemos talvez seja pior

Em relação à morte de Pablo Neruda, as perguntas talvez não tenham respostas. Ele estava acamado, quando o golpe aconteceu. E se supunha que o ódio dos criminosos que depuseram o governo chileno, respeitasse um dos poucos prêmios Nobel da América Latina até ali. Seu provável assassínio, portanto, não é uma questão tão simples. Por Enio Squeff* Parte da imprensa chilena, segundo a revista “Fórum”, está divulgando uma história que até bem pouco pareceria inverossímil: Pablo Neruda, prêmio Nobel de Literatura de 1971, teria sido assassinado. Em pleno golpe de estado levado a cabo pelo general Augusto Pinochet, Neruda, internado num hospital em Santiago do Chile, sofria de um suposto câncer na próstata, e talvez não tivesse muito tempo de vida. Foi quando alguém entrou em seu quarto, aplicou-lhe uma injeção na barriga e se retirou. Poucas horas depois, a se queixar de muitas dores, o poeta faleceu. Aparentemente, e pelas conclusões dos legistas, a “causa mortis” teria sido um ataque cardíaco fulminante. O ex-motorista de Pablo Neruda, porém, preso em seguida à morte do escritor, reforça a versão do assassinato. A hipótese é que às dez mil mortes atribuídas a Pinochet e a Henry Kissinger (foi o ex-secretário norte-americano quem recomendou que as “coisas” - leia-se mortos “necessárias” - tanto no Chile, na Argentina, quanto no Brasil fossem “rápidas”), teria de ser acrescentada agora o assassínio do único Premio Nobel do Chile. Qualquer semelhança entre Pinochet e um dos maiores assassinos de todos os tempos, César Bórgia, filho do Papa Alexandre VI, pode ser um exagero. Mas poucos ressaltam o criminoso em Pinochet; já César Bórgia é uma unanimidade histórica desde o século XVI. No caso de Neruda, seu possível assassínio por enquanto é apenas uma forte hipótese. Sabe-se que Pinochet roubou o quanto pôde enquanto esteve no comando absoluto do Chile. No começo, isso também era uma hipótese – até que foram localizados alguns milhões de dólares em sua conta pessoal. Feitos os cálculos aritméticos, somados os seus salários com os de presidente e de general, não dava para compatibilizar uma coisa e outra. Ou seja, além de assassino, ladrão. César Bórgia foi bem mais objetivo: roubava principalmente dos padres e cardeais que o afrontavam, ou não. Bastava que mostrassem ter algum dinheiro, ou razoável fortuna pessoal, lá ia o filho do Papa com a guarda vaticana ou simples sicários. No dia seguinte, os corpos dos monges ou dos cardeais eram encontrados envenenados ou com algumas punhaladas no corpo. Como os prelados não tinham descendentes diretos por serem “oficialmente” celibatários, a riqueza passava para a Igreja. E dali para os Bórgias. O sistema chegou a ser adotado por alguns membros da repressão brasileira. Um deles foi explicitamente condenado num tribunal comum por roubo, embora seus maiores crimes fossem o que a justiça brasileira hoje em dia desconsidera, como assassínios e torturas. Talvez não queira dizer muito que Pinochet tenha também um poeta famoso em seu saldo com Washington, que, aliás, comprovadamente patrocinou golpe de estado no Chile. Na política internacional, assassinos e vítimas, em geral, se esfumam na consideração de que as ordens de estado são sempre supervenientes. E, de fato, não deixam de sê-lo. Francisco Franco (1892-1975), ditador espanhol até a década de 70 do século XX, não deve ter considerado muito grave que um pelotão de falangistas que ele comandava, tenha incluído o poeta Federico Garcia Lorca entre os fuzilados que foram arrancados de uma prisão durante a revolução espanhola. Afinal, qual a diferença entre um poeta e pessoas comuns, igualmente inocentes – mas democraticamente trucidadas? Parece uma pergunta pertinente. No fundo, as injustiças das mortes de civis não são mais graves, por incluírem poetas e artistas. Stálin e Hitler, cada um a seu turno, mataram vários, justamente por serem uma coisa e outra ou ambas. Morrer por ideais, inclusive, parece ser mais coerente - ou mais explicável - do que estar casualmente na mira da eventual bomba ou do tiro errático de um combatente – louco ou não. Seria o que aconteceu com o poeta chileno? Pablo Neruda foi um dos comunistas mais notórios da América Latina do seu tempo. Nunca escondeu que era amigo de Salvador Allende, presidente derrubado por Pinochet e cujo suicídio, por sua vez, parece estar devidamente comprovado. Foi a exceção que talvez tivesse comprovado a regra. Imagina-se que Allende, como fez seu amigo poeta, poderia ter se entregado vivo às tropas golpistas chilenas: quem sabe fosse até poupado (uma cogitação quase fantasiosa, dada a sanha assassina dos golpistas e da CIA da época). Mas a Pablo Neruda sequer foi posta essa possibilidade: estava acamado, quando o golpe aconteceu. E se supunha que o ódio dos criminosos que depuseram o governo chileno, respeitasse um dos poucos prêmios Nobel da América Latina até ali [Nota do autor: Agradeço ao leitor Sérgio Rodrigues pela retificação; de fato, Gabriela Mistral recebeu o Nobel de Literatura em 1945]. Seu provável assassínio, portanto, não é uma questão tão simples. É que poetas, jornalistas honestos, ou não oportunistas, são difíceis de fazer calar. Um certo Filofila, por exemplo, embora muito confiado no poder dos Orsini que disputavam o trono do Papa com os Bórgias, no século XVI, disse o que quis de Alexandre VI e de seus parentes – , principalmente os filhos, César e a filha, Lucrécia. Atos incestuosos entre os Bórgias, era o mínimo que divulgava em cartazes espalhados por toda a Roma no tempo em que a família Bórgia detinha o poder no Vaticano. Iludiu-se de que seu possível talento e seus protetores, o salvassem de suas ousadias – de seu talante, digamos. Equivocou-se. Um dia seu corpo horrivelmente mutilado foi descoberto nas ruas de Roma. Não chegou, porém, a ser uma morte vã: Victor Hugo, escritor romântico francês, valeu-se de muitos dos informes de Filofila para contar sobre a intensa criminalidade na alta Renascença Italiana. Em relação a Pablo Neruda, as perguntas talvez não tenham respostas. No atual período democrático da America Latina há uma clara opção, menos pela violência do que pela compra de opiniões. Já agora e, por enquanto, parece estarem excluídas as execuções sumárias. Se existem denúncias a comprometer políticos ou homens poderosos, o melhor é a indiferença sob a forma de mutismo. Nesses casos, nem mesmo as possíveis dúvidas podem ser consideradas. Ou divulgadas. Se existem provas irrefutáveis contra alguém, e se tiver interessados na grande imprensa que ele não seja implicado – excluam-se as denúncias, por mais evidentes que sejam. É o que talvez sobre em relação à morte de Pablo Neruda. Vivemos tempos de bonanças e de silêncios. E talvez importe menos saber se os corpos jogados num canto qualquer de uma cidade do Afeganistão sejam de pessoas assassinadas, do que terem seus cadáveres urinados por soldados. Atos delituosos não parecem ser mais a tortura e o assassínio, do que o xixi sobre mortos. Aventemos, enfim, que importe pouco que Pablo Neruda tenha sido assassinado. Ele iria morrer de qualquer jeito. *Enio Squeff é artista plástico e jornalista Fonte: Carta Maior

17 de janeiro de 2012

Sinproesemma inicia preparativos para o 4º Contema

O Plano Nacional de Educação com investimento de 10% do PIB na educação pública, gestão democrática e a valorização dos educadores públicos são questões centrais que serão tratadas no 4º Congresso dos Trabalhadores em Educação Básica Pública do Estado do Maranhão (Contema), que será realizado nos dias 29,30 e 31 de março deste ano. O congresso é promovido pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública (Sinproesemma), com a meta de reunir mais de 300 educadores de todas as regiões do estado. Para isso, serão realizadas, no período de 26 a 29 deste mês, as assembleias gerais municipais, as quais deverão eleger os delegados dos núcleos sindicais, que irão representar, no congresso, os trabalhadores da educação dos diversos municípios maranhenses. No próximo dia 19, de acordo com o regimento do evento, será divulgada a lista dos núcleos sindicais declarados aptos à participação no congresso, assim como as quotas de delegados de cada um, de acordo com as normas da proporcionalidade, previstas no edital de convocação do congresso, que foi publicado na imprensa, no dia 22 de dezembro. Cada núcleo sindical, que possui até 150 associados, em dias com suas contribuições sindicais, terá direito a dois delegados. Para os núcleos com maior número de associados, será acrescido mais um delegado por cada grupo de 150 associados e mais um para a fração igual ou superior a 75 associados aptos. Os núcleos deverão informar, com antecipação de cinco dias, a data de sua assembleia municipal, que deverá, obrigatoriamente, contar com o acompanhamento de um representante do Sinproesemma, indicado pela direção geral da entidade.
Além dos delegados eleitos pelos núcleos sindicais, o 4º Contema terá a participação dos delegados natos, que são os membros da diretoria do Sinproesemma, exceto os diretores suplentes. Segundo o secretário de Comunicação do Sinproesemma, Júlio Guterres, o evento é um momento importante para fazer um balanço da gestão, com reflexão dos pontos de avanços e de dificuldades, e de atualizar as bandeiras da categoria, dentro do contexto político atual. Ele diz que o congresso é um espaço importante para definir novos planos de luta, traçando as perspectivas para os próximos quatro anos. O secretário também explica que o congresso será o momento de adequação do estatuto do sindicato à nova realidade atual, com regras mais dinâmicas, nesse novo contexto de orientação classista sindical, quando o foco do congresso não será mais eleição da diretoria do sindicato. Júlio lembra que o 4º Contema é o momento de dar ênfase aos educadores que irão pleitear espaços políticos nas câmaras municipais e prefeituras, este no de 2012, ressaltando o quanto é importante que a categoria tenha um número significativo de representantes políticos, que levantem as bandeiras da educação pública nos municípios. Fonte: SINPROESEMMA

16 de janeiro de 2012

#OuvindoNaLognPlay Rádio Guará do Brasil via @lognplay

#OuvindoNaLognPlay Rádio Guará do Brasil via @lognplay

Inscrições abertas para a 64ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência SBPC

Já estão abertas, no site http://www.sbpcnet.org.br/saoluis/home/, as inscrições para a 64ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), que será realizada de 22 a 27 de julho de 2012, na Universidade Federal do Maranhão (UFMA), em São Luís (MA). O maior evento científico do Brasil traz, nesta edição, mais ações que favorecem a inclusão social, acessibilidade e a sustentabilidade, a começar pelo site da Reunião que foi programado para ser 100% compatível com programas que irão auxiliar deficientes visuais a acessar seu conteúdo; e também pela diminuição drástica do uso de papel impresso. Como nos anos anteriores, o evento contará com centenas de atividades, entre conferências, simpósios, mesas-redondas, encontros e sessões especiais, das quais participarão cientistas renomados de todo o País para discutir políticas públicas em ciência, tecnologia e inovação, educação, saúde e meio ambiente, além de difundir o conhecimento científico nas mais diversas áreas. Boa parte das atividades versará sobre o tema central do evento: “Ciência, Cultura e Saberes Tradicionais para Enfrentar a Pobreza”.
Durante o evento, será realizada diariamente uma sessão de pôster para apresentação de trabalhos científicos ou de técnicas ou experiências de ensino e aprendizagem. Serão oferecidos ainda dezenas de minicursos, cujos temas são de interesse tanto de universitários e pesquisadores como de professores do ensino básico. A ExpoT&C, uma das maiores mostras de ciência, tecnologia e inovação, também consta da programação. Mais de uma centena de expositores, como universidades, institutos de pesquisa e agências de fomento, estarão reunidos para apresentar ao público novas tecnologias, produtos e serviços. Haverá ainda uma programação voltada especialmente para estudantes do ensino básico, com oficinas, exposições, palestras e outras atividades que estimulem o interesse pela ciência. Tudo isso será permeado por apresentações de artísticas e culturais da região, que ocorrerão ao longo de todo o evento. A Reunião Anual da SBPC é aberta ao público e gratuita. Qualquer pessoa pode participar, sem inscrição prévia, da maioria das atividades. A inscrição e o pagamento de taxa são necessários apenas para aqueles que pretendem apresentar trabalhos científicos, que queiram participar de um dos minicursos ou receber a programação impressa. Veja todas as regras no site do evento. Inclusão e mais verde – Um dos principais avanços nesta Reunião são as ações de acessibilidade e sustentabilidade. Nesta edição, foi abolido o crachá, que será entregue apenas para a equipe envolvida no evento e nos casos em que a identificação imediata é necessária. Os livros com informações sobre as atividades, como a programação científica, cultural, a ExpoT&C, mapas de localização e guias de serviços, estarão concentrados em um único volume, fornecendo somente informações essenciais. Ao se inscrever na Reunião pelo site do evento, pessoas com algum tipo de deficiência poderão solicitar, com antecedência, auxílio conforme suas necessidades. “A Universidade Federal do Maranhão está também em pleno movimento para disponibilizar ao público uma estrutura de acessibilidade bastante eficiente”, afirma a secretária geral da SBPC, Rute Maria Gonçalves de Andrade, responsável pela organização do evento. As comunidades tradicionais, informa ela, também estão sendo chamadas para participar do evento, de forma a inseri-las em debates de assuntos de seu interesse. “A SBPC, sempre empreendendo ações para promover o progresso da educação e da ciência e, consequentemente, da sociedade brasileira, não poderia estar fora deste movimento pelo direito de todos ao acesso seja ao que for, onde, como e porque for”, enfatiza Fonte: SBPC

Desenvolvimento do país depende da educação, diz presidenta

Brasília – A presidenta Dilma Rousseff disse hoje (16) que o desenvolvimento do país depende da educação. No programa semanal Café com a Presidenta, ela destacou a democratização do acesso ao ensino superior por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e do Programa Universidade para Todos (Prouni). Juntas, as iniciativas contabilizam mais de 300 mil vagas abertas desde o início do ano. “O desenvolvimento do país depende da educação e por isso esses programas são tão importantes, são tão estratégicos para o jovem, para a sua família e, sobretudo, para o Brasil”, disse. “Nossa intenção é garantir a todos os jovens que queiram frequentar a universidade uma chance, uma oportunidade”, completou. Dilma lembrou que o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) permite que o estudante financie até 100% da mensalidade, com juros de 3,4% ao ano. O programa prevê ainda que o aluno só comece a pagar o empréstimo um ano e meio após o término da faculdade. O prazo é três vezes mais que a duração do curso. Além disso, segundo a presidenta, jovens que optarem por cursos de licenciatura ou de medicina e que forem trabalhar dando aulas em escolas públicas ou atendendo pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) em locais em que há carência de médicos poderão ter o débito do Fies reduzido. “A educação é a principal ferramenta para a conquista dos sonhos de cada um e também para que o Brasil continue crescendo, distribuindo renda, para que seja um país de oportunidade para todas as pessoas. Nada é mais importante que a educação quando se trata de distribuição de renda e de garantia de futuro”, concluiu Dilma. Fonte: Agencia Brasil

15 de janeiro de 2012

Poema de Domingo: A Ponte

A Ponte Olho a ponte e passo. Outra vez, num sobressalto, paro, retorno. Por ali passam sempre pessoas Com destinos que nunca se param. Os carros desmantelam o sossego pueril. ‘Parlapatices’ e chamados dissonantes. Pela ponte passam passaredos de felicidade, Revoada de pássaros apressados. Palavras que se inconcluem mutuamente, Com carradas de outras coisas reveladas. Ponte de homens e ferramentas de trabalho, Dirigindo automóveis que se atrasam. Na ponte de outras labaredas, O tempo vira velocidade ímpar, Atua como linha divisória pura. Faz ontem e hoje ficarem modernos. Na velha e nova cidade, Uma só ontologia de buscas e verdades. Tem uma ponte que passa sobre a ponte, Agora transpassada em axioma de séculos. É a ponte que passa por ali, Insuspeita no caminho a prospectar. No fim de tarde, amanheço. O sol desponta ali, perto da imagética no horizonte, Como estrada de extremidades amarelas Que passa por baixo do vão da ponte Cega pelo olhar de sol do mar dadivoso, Que também perpassa toda a fonte. Acordam cedo, tarde, a tempo. A toda hora muitos passam pela ponte. Marden Ramalho 2004

13 de janeiro de 2012

Trabalhadores em educação de São Luís entram em greve a partir de 31 de janeiro

Presidente do Sindeducação de São Luís, Lindalva Batista A Assembleia Geral dos professores da rede municipal de São Luís decidiu nessa sexta feira 13, na FETIEMA, por paralisar por tempo indeterminado as atividades do magistério a partir do dia 31 de janeiro de 2012. A decisão foi unanime em meio a centenas de professores presentes na Assembleia. A direção do SINDEDUCAÇÃO informou que mais uma vez o governo municipal descumpriu o acordo firmado em duas reuniões realizadas em novembro do ano passado onde afirmou que todas as reivindicações da categoria seriam atendidas até o dia da assembleia. Em uma dessas reuniões, o secretário de educação, Othon Bastos, transferiu a responsabilidade das negociações da SEMED para os conselhos de educação e do FUNDEB. Na verdade, isto não passou de mais uma manobra para o governo ganhar tempo e empurrar o problema para frente. Dia 17 começam as aulas oficialmente, mas em função das péssimas condições da maioria das escolas da rede municipal, os alunos só estarão em sala de aula a partir do dia 30. Nestas duas semanas que se seguem, o sindicato vai trabalhar nas escolas conscientizando os docentes sobre os motivos da greve e orientando da necessidade da união da categoria neste movimento paredista que deve ser longo. A direção do sindicato vai instalar o fórum permanente de debates onde serão discutidos todos os itens que dizem respeito à educação pública e de qualidade do município. As reuniões acontecerão no auditório do SINDEDUCAÇÃO na COHAB e todos os professores podem participar. Em breve a direção do sindicato vai informar os dias e horários do funcionamento do fórum. No final da assembleia foi eleita a comissão de negociação dos professores que começa a se reunir neste sábado (14/01) na sede do sindicato já preparando as estratégias que o movimento paredista deve adotar a partir do dia 31. Fonte: SINDEDUCAÇÃO

12 de janeiro de 2012

Presidente do Irã, Ahmadinejad, está em Cuba, defende nova ordem mundial e é homenageado com título de doutor

Brasília – Em visita a Havana, capital cubana, o presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, apelou para o estabelecimento de uma “nova ordem mundial” baseada na justiça como reação ao que chamou de “decadência do capitalismo” . Segundo ele, o sistema capitalista vive um impasse. “Assistimos [cenas que mostram que] o sistema capitalista está em decadência. Em diversos locais, há um impasse”, disse Ahmadinejad, em discurso na Universidade de Havana, ao receber o título de doutor honoris causa em ciências políticas da instituição. O presidente iraniano conclui amanhã (13) a visita de cinco dias pela América Latina. Ele foi à Venezuela, à Nicarágua, a Cuba e, por último, seguirá para o Equador. O presidente equatoriano, Rafael Correa, disse que vários acordos bilaterais serão firmados durante a visita de Ahmadinejad ao país. O presidente iraniano defendeu a necessidade de estabelecer uma nova ordem, que deve respeitar os direitos humanos com base na justiça. “Devemos nos manter acordados e em alerta. Se não prepararmos nós próprios, a nova ordem do mundo será definida pelos herdeiros dos escravocratas e dos capitalistas", acrescentou. Ontem (11), Ahmadinejad reiterou as críticas às referências de que há produção de armas nucleares no Irã. Segundo ele, as afirmações são improcedentes e têm conteúdo político. O Irã está sob sanções da comunidade internacional, pois vários países desconfiam de irregularidades envolvendo o programa nuclear. *Com informações da agência pública de notícias de Portugal, Lusa//Edição: Graça Adjuto

6 de janeiro de 2012

Diretores do SINDMETAL e da CTB participam de curso sobre Negociação Coletiva em São Luís

O Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de São luís, SINDMETAL, realizou hoje curso sobre Negociação Coletiva com os membros da Direção da entidade. Entre os palestrantes convidados estão na cidade Wallace Paz, Secretário Geral da Federação Interestadual dos Trabalhadores Metalúrgicos do Brasil e o Economista, professro Universitário e Assessor Especial do Governador do Rio Grande do Sul, David Fialkow. O Presidente da CTB no Maranhão, Júlio Guterres, também participou como palestrante. Júlio Guterres aproveitou a presença dos dirigentes nacionais para reafirmar decisão da CTB de que além das negociações expecíficas em torno de salários e condições de trabalho os trabalhadores devem priorizar a organização do Sindicato por local de trabalho. Júlio denunciou também o desrespeito da empresa ALUMAR ao impor o retorno do Presidente, do Secretário Geral e de outros diretores do SINDMETAL às suas atividades na Fábrica. "Isso pode levar ao desmonte do Sindicato e caracteriza, portanto, um crime contra a organização dos trabalhadores. Vamos denunciar isso às autoridades.", disse Júlio Guterres ao Blog. O Curso compôe quadro de atividades de Formação do SINDMETAL, cuja nova Diretoria foi empossada no mês de Novembro de 2011. O Presidente do SINDMETAL Zé Maria Araújo mostrou-se satisfeito com os resultados da atividade e diz que esse é apenas o início da retomada das ações da entidade que completa em 2012 52 anos de existência. Wallace Paz, David Filkow e Diretores do SINDMETAL

Professor da UFT é assassinado com facada em Tocantinópolis

Professor Cleidess Amorim O professor da UFT, Cleides Antônio Amorim, foi assassinado com uma facada na cidade de Tocantinópolis. Segundo as informações da PM, o crime teria motivação homofóbica já que antes do crime, no momento da discussão, Gilberto Afonso de Sousa teria deixado claro que não gostava de homossexuais. O professor morreu na hora e Sousa está foragido. O presidente do Grupo Ipê Amarelo, Renilson Cruz, em entrevista ao Site Roberta Tum se mostrou indignado com o crime que considerou covarde e preconceituoso. A UFT também lamentou a morte do professor. Professor Cleides Antônio AmorimNa madrugada de hoje, 5, o professor da Universidade Federal do Tocantins, Campus de Tocantinópolis, Cleides Antônio Amorim, foi assassinado com uma facada embaixo do peito esquerdo. Segundo informações da Polícia Militar do município, a homofobia teria motivado o crime, já que testemunhas contaram que na ocasião o assassino alegou que não gostava de homossexuais. O tenente José Ribamar Maciel Martins contou ao Site Roberta Tum que o professor estava acompanhado de dois amigos e bebiam num bar quando logo em seguida chegou Gilberto Afonso de Sousa que sentou com uma mulher e dois homens, sem ser convidado e na mesa ao lado estava Amorim. De acordo com as informações, Sousa chegou ao local embriagado e começou a gritar “nessa mesa só tem viado” se referindo a mesa do professor. Ainda de acordo com as informações do tenente, testemunhas contaram que após discussões entres os envolvidos, Sousa pegou uma faca, desferiu um golpe contra o professor e em seguida deixou o local. Amorim morreu na hora. E logo após o crime os amigos do professor destruíram a moto de Sousa com pauladas. “Uma das testemunhas contou que na confusão Sousa caiu perto da moto e ao levantar disse que ia pegar a chave da moto e ia embora, mas na verdade ele pegou embaixo do banco da motocicleta uma faca. Todos que estavam presentes correram menos Amorim, que foi atingido com uma facada do lado esquerdo do peito” explicou o tenente. O presidente do Grupo Ipê Amarelo Pela Livre Orientação Sexual- Giama, Renilson Cruz, em entrevista ao Site Roberta Tum se mostrou indignado com o crime que considerou covarde e preconceituoso. “Esse é mais um crime homofóbico e covarde que não pode ficar sem punição, ninguém tem o direito de matar. Não justifica o fato de não gostar deles e isso poder acabar com a vida do ser humano” pontuou. Segundo o Giama, Cleides Amorim é o 28º LGBT assassinado no Tocantins. Histórico O professor Cleides Antônio tinha 42 anos, era professor assistente, coordenador do curso de Ciências Sociais e ministrava aulas nas disciplinas de Antropologia II, Introdução à Metodologia da Pesquisa em Ciências Sociais, Sociologia da Educação e Tópicos Especiais em Antropologia. Ainda não há informações sobre horário e local do sepultamento. Segundo seu currículo na Plataforma Lattes, Amorim era graduado em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Maranhão (1996) e mestrado em Antropologia Social pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2001). A UFT lamentou a morte do professor. (Colaborou Thaise Marques)

4 de janeiro de 2012

Lula termina 1ª radioterapia e deve voltar todos dias ao hospital

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva realizou nesta quarta-feira (4) a primeira sessão de radioterapia no Hospital Sírio Libanês, na capital paulista, dando início à segunda fase do tratamento contra um câncer na laringe. Segundo sua assessoria, Lula retornará ao hospital diariamente, exceto aos finais de semana, ao longo dos próximos 30 dias, para continuar o procedimento. Ainda de acordo com a assessoria, o presidente está bem e conversa normalmente. Inicialmente está descartada a hipótese de Lula ficar internado durante as noites no hospital para evitar o trânsito diário até sua residência, em São Bernardo do Campo, na região do ABC paulista. Após a sessão de radioterapia, o ex-presidente dirigiu-se a mais um tratamento de quimioterapia. Até agora nenhum procedimento foi realizado fora da indicação inicial dos médicos. Por volta das 17h, ele deixaria o hospital em direção à sua casa. A assessoria informou ainda que no intervalo das sessões Lula não possui compromisso público marcado. O repouso tem sido uma prática constante desde que o ex-presidente descobriu a doença, em outubro. Nesse período, ele participou de poucos eventos, entre os quais um encontro com a presidenta Dilma Rousseff em um hotel de São Paulo, e uma partida de futebol americano, vencida pela equipe do Corinthians, seu time. Os petistas contam com o peso político de Lula para as próximas eleições municipais. O ministro da Educação e pré-candidato petista à prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, já disse que espera a participação do ex-presidente no pleito paulistano. Fonte: Rádio Brasil Atual

3 de janeiro de 2012

Valor mínimo a ser aplicado por aluno da escola pública cresce 21% em 2012

Brasília – O investimento anual mínimo por aluno da rede pública para 2012 foi fixado em R$ 2.096, 68 pelo Ministério da Educação (MEC). O valor se refere aos estudantes dos primeiros anos do ensino fundamental (1° ao 5° ano) e serve como base para calcular quanto as redes de ensino (municipal e estadual) irão aplicar para custear as matrículas de cada etapa da educação básica – creche, pré-escola, ensino fundamental e médio. O patamar definido pelo ministério em portaria publicada na última semana é 21,75% maior do que o referente a 2011 (R$1.722,05). Ele é calculado com base na estimativa de arrecadação dos impostos e contribuições que compõem o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb). Os estados que não atingem o valor mínimo por aluno recebem complementação da União. Segundo o MEC, em 2012, nove unidades da Federação receberão os recursos do governo federal: Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Maranhão, Pará, Paraíba, Pernambuco e Piauí. De acordo com as estimativas calculadas pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), autarquia do MEC responsável pelo Fundeb, o estado que terá em 2012 o maior investimento por aluno será Roraima: R$ 3.531,27 – considerando o valor que será aplicado para estudantes das séries inicias do ensino fundamental de escolas urbanas. Em seguida aparecem São Paulo (R$ 3.192, 81), Rio Grande do Sul (R$ 2.913,05), Amapá (R$ 2.871,54) e Espírito Santo (R$ 2.831,67). Os patamares de investimento variam de acordo com cada etapa. O valor a ser aplicado por aluno é maior na creche e nas escolas que oferecem ensino em tempo integral. Fonte: Agencia Brasil