31 de julho de 2013

Contra a terceirização: Centrais Sindicais mobilizam para ato no dia 6 de agosto

As centrais sindicais estão convocando os trabalhadores e trabalhadoras a participarem de um grande ato contra tercerização na porta da Federação da Indústria de São Paulo (Fiesp), na próxima terça-feira, 6 de agosto.

Foto CTB: Centrais reunidas na sede da UGT

O protesto faz parte de um calendário de mobilizações, que inclui ainda um Dia Nacional com Greves e Paralisações em 30 de agosto.

Pressão contra terceirizações

Na manhã da segunda e terça-feira (29 e 30), representantes das centrais sindicais se reuniram em São Paulo, na sede da UGT, para encaminhar os preparativos para ambas atividades. Além do ato na porta da Fiesp, trabalhadores promoverão protestos nas portas das federações patronais em todas as capitais do Brasil e também nas confederações de empresários (CNI, CNC, CNC).

O objetivo é pressionar os empresários a retirar da pauta da Câmara dos Deputados o Projeto de Lei 4330, que amplia a terceirização da mão de obra, precarizando ainda mais as relações e as condições de trabalho.

Os atos foram marcados para essa data porque no dia 5 terminam as negociações da Mesa Quadripartite, que reúne trabalhadores, empresários, governo e deputados federais, que está discutindo alterações no texto do PL da terceirização. Na mesa, a bancada dos trabalhadores está tentando alterar o texto para proteger os direitos dos trabalhadores, mas há muita resistência da bancada patronal.

Dia Nacional de Greves e Paralisação

Já no dia 30 de agosto, a grande mobilização nacional inclui a promoção de greves e paralisações parciais e totais realizadas pelas diversas categorias.

Onofre Gonçalves, presidente da CTB-SP, destaca que as centrais estã unificadas para levar a diante a pauta da classe trabalhadora, que incluí o comabte á tercerização e a precarização das condições de trabalho. “Não vamos deixar que ataquem os direitos dos trabalhadores. E o PL 4330, nada mais é que a precarização das condições de trabalho em benfício do empregador, que busca o lucro sobretudo", destacopu.

Para Wganer Gomes, presidente nacional da CTB, ficou claro para o Congresso Nacional e para o governo que é preciso atender a pauta da classe trabalhadora. “As centrais sindicais têm unidade na defesa da classe trabalhadora. E pela conquista dos itens da pauta de reivindicações que entregamos para o governo e para o Congresso, vamos até o fim”, concluiu o dirigente.

Na pauta de reivindicações, os pontos unificados pelas centrais incluem o fim do fator previdenciário; 10% do PIB para a Saúde; 10% do PIB para a Educação; redução da Jornada de Trabalho para 40h semanais, sem redução de salários; valorização das Aposentadorias; transporte público e de qualidade; reforma agrária; mudanças nos Leilões de Petróleo e rechaço ao PL 4330, sobre terceirização.

Fonte: Portal da CTB São Paulo

30 de julho de 2013

Sindicato dos Metalúrgicos de São Luís promove Curso com o pessoal do CES

Os Diretores do Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de São Luís, Sindmetal, participaram nos dias 19 e 20 de julho do Curso de Formação Sindical do Centro de Estudos Sindicais, CES.

O curso foi ministrado pelos professores Adelmo Rodrigues e Renato Soares, do Centro de Estudos Sindicais (CES).

Além dos dirigentes do Sindmetal membros convidados de outros sindicatos, como Sintema e Sindhotéis, também participaram do curso.

Adelmo Rodrigues participa do movimento sindical há mais de 30 anos e abordou o papel da mídia e os aspectos a serem relacionados com a análise de conjuntura. Também foi discutida a identificação dos objetivos e o que está sendo buscado no movimento.

Durante o Curso foi trabalhado o papel dos sindicatos e as concepções sindicais, também a história do movimento no Brasil e as transformações no mundo do trabalho, discutindo o modelo toyotista e as mudanças que a nova revolução industrial trouxe para o mundo do trabalho.

“O dirigente precisa estar sempre compreendendo o seu papel pra saber dar respostas e enfrentar as novas realidades, resgatando e entendendo que o sindicalismo não é algo que surgiu agora, mas está dentro de um contexto e uma luta internacional histórica”, avaliou, o Professor Adelmo Rodrigues.

O diretor de Formação do Sindmetal, Honório Cantanhede, viu a capacitação como oportunidade para todos os dirigentes, ressaltando o trabalho da atual gestão em priorizar a formação e a necessidade da continuar o trabalho. “É importante não só pra categoria, mas para os diretores que tem um processo de qualificação à altura do que é exigido pelo movimento“, destacou Honório.

Para o Presidente do Sindmetal, José Maria Araújo, a atividade sindical "é um aprendizado contínuo, que deve considerar a história e atualizar os conhecimentos para buscar o melhor caminho para atender a demanda atual. E a formação é fundamental pra combater o capitalismo e as várias formas de exploração, buscando sempre um regime mais justo.“, enfatizou.

Julgamento do Carandiru prossegue com testemunhas de defesa

A segunda etapa do julgamento do Massacre do Carandiru prossegue na manhã desta terça-feira (30), com os depoimentos das testemunhas de defesa. Os nomes das testemunhas não foram ainda confirmados, mas a expectativa é que sejam ouvidas quatro testemunhas presencialmente e duas terão seus depoimentos, que foram prestados na primeira etapa do julgamento, exibidos por meio de vídeos.

Na segunda-feira (29), primeiro dia desta segunda etapa do julgamento, os trabalhos do júri duraram cerca de 13 horas. Foram ouvidas as testemunhas de acusação. A primeira a ser ouvida foi o perito criminal Osvaldo Negrini Neto. Em seu depoimento, o perito descartou a hipótese de que haja ocorrido confronto entre policiais e detentos no massacre.

“Se houvesse confronto, haveria vestígios nas paredes opostas [às paredes das celas]. No terceiro pavimento, [havia] só [marcas de] dois disparos no corredor, próximos à porta da cela, [indicando] que foram dados de frente para a cela”, disse o perito aos promotores Fernando Pereira Filho e Eduardo Olavo Canto. Segundo ele, os disparos foram feitos da soleira da porta para dentro da cela, indicando que os disparos foram feitos pelos policiais e não pelos detentos.

Negrini Neto já foi ouvido em abril, na primeira etapa do julgamento sobre o Massacre do Carandiru, quando 23 policiais militares foram condenados pela morte de 13 detentos, ocorrida no segundo pavimento (ou o primeiro andar do pavilhão). Nesta segunda etapa do julgamento do massacre, 26 policiais militares são acusados pela morte de 73 detentos no terceiro pavimento (que corresponde ao segundo andar) do Pavilhão 9 do antigo presídio.

Após o depoimento de Negrini Neto, os promotores do caso apresentaram três vídeos com depoimentos de testemunhas ouvidas no primeiro bloco do julgamento, em abril . O primeiro vídeo exibido foi o do ex-detento Antônio Carlos Dias. Em seu depoimento, Antônio relatou as circunstâncias em que os policiais militares invadiram o presídio e como abordaram os presos. "Se olhasse na cara do policial, eles atiravam. Eu presenciei isso. Não lembro do rosto de nenhum porque sai da cela olhando para o chão", declarou.

Dias disse ainda que alguns presos foram mortos mesmo após o retorno às celas. “Quando retornamos [depois de recolhidos no pátio] havia muitos policiais nos andares. Os presos foram recrutados para carregar os corpos. Vi uma dessas pessoas ser morta".

O segundo vídeo exibido foi o do também ex-detento Marco Antonio de Moura. O último vídeo a ser exibido foi de Moacir dos Santos, que era diretor da Divisão de Segurança e Disciplina da Casa de Detenção do Carandiru e substituto imediato do então diretor do presídio, José Ismael Pedrosa.

Moacir dos Santos disse que os policiais entraram no presídio, naquela ocasião, já atirando. “A Tropa de Choque entrou invadindo, não respeitando nem o Ubiratan [coronel Ubiratan Guimarães, comandante da Polícia Militar na época em que ocorreu o Massacre do Carandiru]”, lembrou Santos. “Ele [Ubiratan] não deu ordem para isso, mas depois viu que não tinha mais jeito”. Segundo Santos, o coronel Ubiratan não chegou nem a ficar dois minutos no Carandiru, pois foi atingido por um aparelho de TV que foi arremessado do pavilhão e teve que ser socorrido.

Santos disse que estava trabalhando nesse dia quando recebeu a notícia de que dois detentos do Pavilhão 9 tinham se ferido após uma briga. “Soube que houve tumulto por causa dessa briga e me dirigi para o Pavilhão 9”, contou. Quando chegou lá, viu que, no terceiro andar, alguns presos estavam encapuzados. “Não fizeram nada contra os funcionários, queriam que a gente saísse dali para que eles pudessem fazer o acerto de conta deles”.

Ele contou que os funcionários foram retirados do pavilhão e que a grade de acesso dos presos foi trancada, impedindo que os detentos que estavam no térreo subissem. Uma comissão de autoridades foi montada para discutir a rebelião, tendo a presença de dois juízes, disse Santos. A intenção era tentar negociar o fim da rebelião. No entanto, segundo ele, não houve tempo para a negociação. “A Rota entrou primeiro e já chegou metralhando e não nos deixou socorrer os presos metralhados”.

Depois que a ação policial no local terminou, o diretor disse ter entrado no pavilhão e visto “uma escada onde escorria sangue e água, parecendo uma cascata”. Ele também contou ter visto amontoados de corpos no segundo andar.

O diretor disse não acreditar que os presos estivessem armados nesse dia, apesar de, no final da operação, os policiais terem lhe mostrado algumas armas de fogo que disseram, naquele dia, estar no poder dos presos. “Acho improvável que aquilo fosse dos presos. Se eles tivessem [armas de fogo], eles as teriam usados”. Além disso, disse o diretor, as “armas eram bem velhas, muito antigas” e dificilmente poderiam ser usadas. O diretor também lembrou que não presenciou, na ocasião, qualquer policial que tenha ficado ferido durante a ação.

Por envolver um grande número de réus e de vítimas, o julgamento do Massacre do Carandiru foi desmembrado em quatro etapas, de acordo com o que aconteceu em cada um dos quatro andares do Pavilhão 9 da Casa de Detenção.

Fonte: Agência Brasil
Foto: UOL Notícias

Rosanne Berttoti, Coordenadora do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação no Brasil fala sobre encontro com a Presidenta Dilma



Fonte: TVT

Oligarquia quer patrulhar até mesmo espiritualidade de Flávio Dino

E agora querem até mesmo questionar as leituras religiosas de Flávio Dino sobre a bíblia e sua espiritualidade sempre viva.

Nada por acaso.

O método é este: bater, bater, bater, pra tentar desestabilizar a imagem de Dino que aparece acima da média.

Porque é perigoso deixar Dino livre, leve e solto.

Como não conseguem jogar Dino na roda comum da corrupção, do tráfico de influência, da improbidade, tentam monitorar e questionar até mesmo a fé e os compromissos espirituais do homem que pode por fim ao império Sarney no Maranhão em 2014.

Pra ficar claro, o PCdoB é um partido político e como tal agrega em suas fileiras inúmeras cabeças e qualidades intelectuais.

Como cresceu a legenda tem entre seus filiados padres, pastores, afrodescendentes, índios, políticos, empresários, trabalhadores, e outros, lutando, todos, pelo mesmo ideal.

É um partido de massas, portanto.

Ao filiar-se, é exigido do novo membro o respeito ao Programa e ao Estatuto partidário.

Tranquilo e calmo.

Todos entendem até aqui o centro da espiritualidade de Flávio Dino revelada em vários momentos.

Em debates eleitorais, em episódios tristes como o falecimento de seu filho, em tragédias como as de Santa Maria, nas tragédias de quedas de avião, ou coisas do tipo, em entrevistas, enfim, sempre deixando claro que carrega sentimentos cristãos puros em seu coração e como tal respeita a religiosidade das pessoas sem qualquer desdém ou desrespeito.

Chega disso.

Flávio é sincero em seu coração e em seus propósitos para o Maranhão.

E é isso que falta a muitos.

Sobretudo a seus algozes de mentirinha.

PHA: 'Boicote maciço? Os médicos estão orgulhosos?'

Dos 18.500 médicos que se inscreveram no Mais Médicos, 4.600 validaram a inscrição.

Concluíram a entrega de documentos.

Sexta-feira da semana passada, 8.307 inscritos forneceram o numero do CRM inválido.

Pouco mais de mil inscritos corrigiram o número do CRM.

Portanto, 7 mil CRMs inválidos não foram corrigidos.

Será tudo isso um boicote ?

Não é possível !

Os médicos brasileiros seriam incapazes de trair o “juramento de Hipócrates”:

“Prometo que, ao exercer a arte de curar, mostrar-me-ei sempre fiel aos preceitos da honestidade, da caridade e da ciência. Penetrando no interior dos lares, meus olhos serão cegos, minha língua calará os segredos que me forem revelados, o que terei como preceito de honra. Nunca me servirei da minha profissão para corromper os costumes ou favorecer o crime. Se eu cumprir este juramento com fidelidade, goze eu para sempre a minha vida e a minha arte com boa reputação entre os homens; se o infringir ou dele afastar-me, suceda-me o contrário.”

Jamais !

Há uma outra informação intrigante: dos 1.270 médicos residentes que se inscreveram na primeira fase, apenas 31 confirmaram.

Estranho, não, Hipócrates ?

Boicote ? Inscrever-se por inscrever-se para melar o sistema ?

Jamais, Hipócrates !

Muitos desses residentes devem, quem sabe ?, ter recebido um convite da tia para clinicar na Suécia.

Isso é muito comum, como se sabe.

E, aí, desistiram do Mais Médicos.

Boicote, Hipócrates ?

Improvável.

De qualquer forma, a Polícia Federal do zé – aquela que descobriu a corrida a banco sem origem – esclarecerá a dúvida de forma indiscutível !

O saldo é que 4 mil médicos aderiram, de fato, ao programa, até agora.

Entre eles, 766 estrangeiros.

O programa, nesta primeira leva, está na fase de cruzar as três escolhas dos candidatos com os municípios que pretendem recebe-los.

Por causa desse sucesso, os médicos continuam a fazer “parede”, “greve”.

Em defesa dos altos e legítimos interesses da classe que em Hipócrates se inspira.

O interessante é que a grande maioria pára de trabalhar no SUS.

Não há notícia de médico que faça greve no próprio consultório.

Viva o Brasil !

Fonte: Conversa Afiada

29 de julho de 2013

PCdoB realiza Conferências Municipais no Maranhão a partir de agosto

O PCdoB de todo o Maranhão estará reunido em Conferências Municipais até o dia 29 de setembro para debaterem as diretrizes políticas do partido, o funcionamento interno, o projeto eleitoral 2014 e para escolherem os delegados que os representarão na conferência estadual da legenda.

O partido realizará Fóruns Regionais com o intuito de orientar a organização das Conferências Municipais. Para tanto, Bacabal, Santa Inês, Presidente Dutra, Imperatriz, Chapadinha, Viana, Balsas, Miranda, Mirinzal e Pinheiro receberam e receberão os fóruns entre os dias 27 e 28 de julho e 3 e 4 de agosto.

O PCdoB orienta que os distritais, organismos de base, organismos especiais e coletivos setoriais convoquem plenárias e reuniões, até o dia 29 de setembro, para a realização das Conferências Municipais, em preparação à Conferência Estadual, marcada para o dia 5 de outubro. O Congresso do PCdoB acontecerá entre os dias 13 e 16 de novembro, em São Paulo.

Discutir sobre as teses apresentadas pelo Comitê Central do PCdoB, eleger delegados para a Conferência Estadual, avaliar as atividades da gestão do comitê municipal e escolher as novas diretorias. Estas são as finalidades das Conferências Municipais que serão realizadas nos municípios maranhenses.

“Estamos priorizando as tarefas de estruturação partidária, de fortalecimento e de reorganização do partido nos municípios do estado. A partir disso pretendemos também ampliar a atuação do nosso partido para os 217 municípios do estado, realizando pelo menos 10 mil novas filiações”, explica o presidente em exercício do PCdoB-MA, Etelvino de Oliveira Nunes.

Trajetória do PCdoB Maranhão

No último dia 27 de março, o PCdoB completou 91 anos de lutas históricas, se consolidando como o partido político mais antigo, em funcionamento de forma ininterrupta no país. No Maranhão o partido elegeu 99 vereadores, 15 vice-prefeitos, 05 prefeitos e um deputado estadual nas últimas eleições.

As Conferências Municipais terão a função de expandir ainda mais a atuação do partido no estado, que já se encontra em todos os municípios maranhenses. A expectativa é de que, ao final do processo de intensa atividade interna do Partido, a militância esteja mais convicta da defesa do socialismo e da necessidade de reafirmação do compromisso de lutar por um estado desenvolvido e com justiça social.

Fonte: ASCOM - PCdoB/ São Luís

Índice de Desenvolvimento Humano Municipal avança 47,8%

Nas últimas duas décadas, o Brasil quase dobrou o seu Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM), passando de 0,493, em 1991, - considerado muito baixo – para 0,727, em 2010, o que representa alto desenvolvimento humano, conforme o Atlas do Desenvolvimento Humano Brasil 2013. No período, país registrou crescimento de 47,8% no IDHM.

Em 1991, 85,5% das cidades brasileiras tinham IDHM considerado muito baixo. Em 2010, o percentual passou para 0,6% dos municípios. De acordo com o levantamento, em 2010, o índice de municípios com IDHM considerado alto e médio chegou a 74%, enquanto em 1991, não havia nenhuma cidade brasileira com IDHM considerado alto e 0,8% apresentavam índice médio. Pela escala do estudo, é considerado muito baixo o IDHM entre 0 e 0,49, baixo entre 0,5 e 0,59; médio de 0,6 e 0,69, alto 0,7 e 0,79 e muito alto entre 0,8 e 1,0.

O IDHM é o resultado da análise de mais de 180 indicadores socioeconômicos dos censos do IBGE de 1991, 2000 e 2010. O estudo é dividido em três dimensões do desenvolvimento humano: a oportunidade de viver uma vida longa e saudável [longevidade], ter acesso a conhecimento [educação] e ter um padrão de vida que garanta as necessidades básicas [renda]. O índice varia de 0 a 1, sendo que quanto mais próximo de 1, maior o desenvolvimento humano.

De acordo com o Atlas do Desenvolvimento Humano Brasil 2013, elaborado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), em parceria com o Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea) e a Fundação João Pinheiro, o Brasil conseguiu reduzir as desigualdades, principalmente, pelo crescimento acentuado dos municípios menos desenvolvidos das regiões Norte e Nordeste.

“A fotografia do Brasil era muito desigual. Houve uma redução, no entanto, o Brasil tem uma desigualdade amazônica, gigantesca, que está caindo. O Brasil era um dos países mais desiguais do mundo, continua sendo, mas houve uma melhora. Podemos antecipar um futuro melhor”, frisou o presidente do Ipea e ministro interino da Secretaria de Assuntos Estratégicos, Marcelo Neri.

Principal responsável pelo crescimento do índice absoluto brasileiro, o IDHM Longevidade acumulou alta de 23,2%, entre 1991 e 2010. O índice ficou em 0,816, em 2010. Com o crescimento, a expectativa de vida do brasileiro aumentou em 9,2 anos, passando de 64,7 anos, em 1991, para 73,9 ano, 2010.

“A melhoria da expectativa de vida é muito significativa. Um brasileiro que nasce hoje tem expectativa de vida nove anos maior o que era há 20 anos, principalmente por uma queda na mortalidade infantil”, explicou o representante PNUD no Brasil Jorge Chediek.

Os municípios catarinenses de Blumenau, Brusque, Balneário Camboriú e Rio do Sul registraram o maio IDHM Longevidade, com 0,894, e expectativa de vida de 78,6 anos. As cidades de Cacimbas (PB) e Roteiro (AL) tiveram o menor índice (0,672) e expectativa de 65,3 anos.

O levantamento aponta ainda que a renda per capita mensal do brasileiro cresceu R$ 346 nas últimas duas décadas, tendo como base agosto de 2010. Entre 1991 e 2010, o IDHM Renda evoluiu 14,2%, contudo, 90% dos 5.565 municípios brasileiros aparecem na categoria de baixo e médio desenvolvimento neste índice.

Apesar do crescimento, a desigualdade fica clara quando comparados os extremos do indicador. O município de São Caetano do Sul (SP), primeiro colocado no IDHM Renda, registrou renda per capita mensal de R$ 2.043, o último colocado, Marajá do Sena (MA), obteve R$ 96,25. Uma diferença de 20 vezes.

O IDHM Educação, apesar registrar a menor contribuição para o IDHM absoluto do país, passou de 0,278, em 1991, para 0,637, em 2010. O crescimento foi impulsionado, segundo o atlas, pelo aumento de 156% no fluxo escolar da população jovem no período.

Desempenho por estados

O Distrito Federal é a Unidade da Federação (UF) com o IDHM mais elevado (0,824) e se destaca também como o único do grupo a figurar na faixa de Muito Alto Desenvolvimento Humano. Além disso, o DF tem o maior IDHM Renda (0,863), o maior IDHM Educação (0,742) e o maior IDHM Longevidade (0,873) entre as UFs.

Na outra ponta, Alagoas (0,631) e Maranhão (0,639) são os estados com menor IDHM do país. Na comparação feita entre as UFs, constata-se que a diferença entre o maior e o menor IDHM do grupo recuou 25,5% entre 1991 (0,259) e 2010 (0,193). A maior redução nas disparidades foi encontrada no IDHM Longevidade, onde a diferença caiu 41,6% (de 0,202 em 1991 para 0,118 em 2010). A queda na diferença entre o maior e o menor IDHM Educação foi a segunda maior: 15,9%, de 0,264 (1991) para 0,222 (2010).

No IDHM Renda, a queda foi de 11,6% pela mesma comparação, passando de 0,284 (1991) para 0,251 (2010).

A redução na diferença entre os maiores e menores IDHMs dos estados e DF mostra que as Unidades da Federação conseguiram reduzir as desigualdades entre si em termos de desenvolvimento humano. Apesar disso, os estados do Sul e Sudeste continuam com IDHM e subíndices superiores aos do Brasil – com exceção de Minas Gerais (0,730) que, na dimensão Renda, encontra-se abaixo do IDHM Renda do país (0,739). Todos os estados do Norte e Nordeste têm IDHM e subíndices menores que os do Brasil.

Capitais brasileiras

Das capitais brasileiras, apenas cinco delas aparecem entre os 20 municípios de maior IDHM: Florianópolis (3º), Vitória (4º), Brasilia (9º) e Belo Horizonte (20º).

O Atlas Brasil 2013 mostra que nenhuma capital brasileira aparece entre os 20 municípios de mais alto IDHM Longevidade. No ranking do IDHM Educação, apenas três delas estão entre as 20 de melhor desempenho: Vitória (4º), com 0,805; seguida de Florianópolis (5º), com 0,800; e mais abaixo por Curitiba (17º), com 0,768.

Já no ranking do IDHM Renda para municípios, sete capitais aparecem entre as 20 de maior subíndice: Vitória (3º), com 0,876; Porto Alegre (6º), com 0,867; Brasília (8º), com 0,863; Curitiba (11º), com 0,850; São Paulo (15º), com 0,843; Belo Horizonte (17º), com 0,841; e Rio de Janeiro (18º), com 0,840.

Fonte: Agência Brasil e Jornal do Brasil
Alterado às 17h20 para acréscimo de informações.

Daqui a pouco tem Flávio Dino interagindo com internautas em videoconferência

A partir das 20h desta segunda (29), Flávio Dino vai interagir com os internautas maranhenses via Hangout, uma videoconferência com participação de diversos usuários de rede.

No segundo encontro com jornalistas e usuários das redes sociais do estado, Flávio Dino falará sobre a JMJ (Jornada Mundial da Juventude) e sobre o contexto político do estado.

Às 20h, será disponibilizado um link de acesso à videoconferência para todos que quiserem assistir. Para participar, basta acompanhar os perfis: www.twitter.com/FlavioDino ou www.twitter.com/dialogospeloma, que orientarão os internautas sobre como se integrar ao bate-papo.

Durante esta videoconferência os internautas poderão sabatinar Flávio Dino com perguntas sobre os assuntos pré-definidos, os interessados em participar deverão enviar mensagens ao perfil www.twitter.com/dialogospeloma.

Fonte: http://dialogospeloma.blogspot.com.br/

28 de julho de 2013

Criador serve maconha a porcos para dar gosto diferente à carne


O pecuarista William von Schneidau diz ter a receita para se obter carne de porco de melhor qualidade: ele mistura maconha à ração que ele dá aos suínos do seu rancho. William garante que assim a carne fica mais saborosa. Ele vende carne de porco em uma feira de Seattle (Washington, EUA).

Schneidau na foto com um de seus “porcos chapados”. Maconha é legalizada em Washington, estado norte-americano

De acordo com o americano, a maconha adiciona fibra à dieta dos porcos, deixando a carne deliciosa.

Mas o pecuarista faz um alerta: comer a carne de porco “aditivada” do seu rancho não produz qualquer efeito que a maconha normalmente pode provocar.

Nem todos os mamíferos têm receptores capazes de processar substâncias presentes na maconha. Os porcos os têm. Segundo o “Huffington Post“, suínos alimentados com maconha podem mesmo ficar com a carne mais macia.

Recentemente, um referendo legalizou o uso recreativo da maconha no estado de Washington.

Fonte: Pragmatismo Político

Altamiro Borges: Para o PCdoB, democratização da mídia é estratégica

Historicamente ligado à luta pela democratização da mídia no Brasil, o PCdoB deu mais um importante passo na defesa desta bandeira. Em reunião realizada entre os dias 5 de 7 de junho, o Comitê Central do Partido, definiu que as assembleias de base do 13º Congresso deverão distribuir aos militantes o abaixo-assinado do Projeto de Lei de Iniciativa Popular (Plip) pela Democratização da Mídia no Brasil – uma das reformas estruturais defendidas em seu programa partidário.

O PCdoB foi o primeiro partido político do Brasil a aprovar uma resolução de Comitê Central que coloca como tarefa prioritária e estratégica a questão da democratização da comunicação.

Em 2008, o Partido incluiu em seu programa a reforma da comunicação. Em entrevista ao Portal Vermelho, o secretário nacional da Questão da Mídia do PCdoB, Altamiro Borges, afirmou que a iniciativa vem ao encontro do projeto do Partido para mudanças estruturais no país.

“O PCdoB encara essa questão como estratégica e transversal. Sem democratizar a comunicação é muito difícil avançar na luta dos trabalhadores, aprofundar e radicalizar a democracia no Brasil e promover transformações profundas no país porque essa mídia representa o conservadorismo”.

Para o dirigente nacional, a decisão de aproveitar o processo do 13º Congresso — que deverá mobilizar mais de 100 mil comunistas em todo o Brasil — para que os militantes também assinem o Plip por uma Mídia Democrática reflete o compromisso do Partido na luta pela democratização da comunicação.

Segundo ele, outros partidos políticos que também estão em processo congressual como o PT e o Psol têm discutido essa questão. “Isso vai somando e significa que a esquerda política brasileira está envolvida com esse tema e somando-se à esquerda social representada pelas centrais sindicais, MST e UNE que já estão nessa batalha”.

Projeto

Em 2009 foi realizada no Brasil a primeira 1ª Conferência Nacional de Comunicação (Confecom) que aprovou mais de 600 propostas para democratizar a comunicação, garantir maior diversidade e elaborar uma proposta de uma lei geral para as comunicações no país. O evento teve a participação da sociedade civil, do poder público e de parte do setor empresarial, que se reuniu para discutir propostas que fossem referência para a construção de políticas públicas para a comunicação.

Na sequência, o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, através do secretário de Comunicação da Presidência, Franklin Martins, elaborou um projeto que teve como base a Confecom e um seminário internacional que trouxe a experiência da democratização da comunicação em vários países do mundo. No entanto, apesar da grande mobilização social, o documento foi engavetado pelo atual ministro Paulo Bernardo. O governo optou por fazer uma consulta pública à sociedade, mas posteriormente também abandonou sua própria iniciativa.

“Diante disso, a sociedade civil organizada percebeu que do governo a proposta não iria sair. O governo tem um pacto com os barões da mídia e tem medo de mexer nesse vespeiro. Então nos reunimos através de um fórum unitário e bastante amplo que trata desse tema, que é o Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC) e decidimos elaborar uma proposta na sociedade para uma mídia democrática”.

A iniciativa utiliza um expediente legal no país, que prevê a coleta de 1 milhão e 500 mil assinaturas a sociedade para a apresentação de um projeto de iniciativa popular. “Não é fácil elaborar um projeto desses porque a comunicação está em transição, vamos dizer assim, de um modelo analógico para um digital. Esse projeto tinha que dar conta do que já estava na Constituição de 1988 e até hoje não foi regulamentado e, ao mesmo, tempo olhar para o futuro, pro processo de convergência digital”.

Experiências recentes latino-americanas sobre o processo de democratização da mídia apontam um caminho para a defesa dessa bandeira no país. Na Argentina, a Lei de Médios foi considerada pelo relator especial da ONU para o Direito à Liberdade de Opinião e Expressão, Frank La Rue, a experiência mais avançada de regulação de mídia do mundo. Altamiro explica que a lei argentina possui 166 artigos. “Podíamos trabalhar nesse rumo, mas achamos que era o caso de concentrar em projeto que pegasse mais questões principais: concessão pública e a quebra do monopólio da mídia. O projeto tem 33 artigos e foi elaborado através de muitos debates com especialistas respeitados nesse tema no Brasil como os professores Vinícius Lima, Marcus Dantas, Laurindo Lalo Leal Filho”.

Para o dirigente nacional do PCdoB, o momento é de ir para as ruas coletar assinaturas. Várias entidades estão abraçando o projeto e o prazo final para o recolhimento das assinaturas é em maio de 2014. “As centrais sindicais, o MST e a UNE têm tratado o tema com muita seriedade. Agora é coletar assinaturas. O projeto vai permitir basicamente um esforço pedagógico da sociedade nesse debate estratégico. Muitas vezes a pessoa vê na televisão um entretenimento e não se dá conta de que atrás daquilo tem manipulação de informação e deformação de valores. Com base nas assinaturas o projeto irá cumprir o papel de pressão sobre o governo e sobre o Congresso — que até hoje não regulamentou a Constituição”.

Questão estratégica

A expectativa é que o Partido recolha, até o final de 2013, mais de 100 mil assinaturas. Os comunistas sempre entenderam a comunicação como uma questão estratégica, combatendo a mídia existente e construindo veículos próprios, explica Altamiro — que também preside o Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé. “Historicamente, o Partido já está há muito tempo na luta pela democratização da comunicação. Em 1925, quando o Partido Comunista do Brasil cria o jornal A Classe Operária já sabia que a imprensa existente era da burguesia e do patronato. Antes dos comunistas brasileiros, Karl Marx sempre entendeu a importância da comunicação, tanto que ele foi jornalista e escreveu para vários jornais, sempre questionando a manipulação da mídia da sua época. Lênin foi um construtor de jornais e dizia que a comunicação era como a estrutura de um prédio”.

Antes dos comunistas, Altamiro cita o papel dos anarquistas que priorizaram a imprensa. “Imagine os anarquistas no Brasil oligárquico e escravocratas com uma mídia que era contra todo o tipo de greve e de ação. Eles perceberam desde o início que precisavam montar os seus jornais e montaram belíssimos jornais como foi a experiência da Plebe”.

Ele explica que para os comunistas, a imprensa sempre foi vista como um ‘andaime’ que deve ser utilizado para conscientizar e também organizar. “Na fase recente o Partido tem investido bastante nessa área da democratização da comunicação. Com essa decisão de preparação do Congresso Nacional é melhor ainda. Há uma diferença muito grande entre palavras e atos. Ao definir, regimentalmente, o empenho do Partido no recolhimento das assinaturas o PCdoB mostra a ação concreta”.


Fonte: Redação do Portal www.vermelho.org.br
Mariana Viel

27 de julho de 2013

Batido o martelo. Luís Fernando é o candidato do grupo Sarney ao governo em 2014


As informações que chegam é que o candidato escolhido teria sido o Secretário de Infraestrutura do Estado, Luís Fernando Silva.

A decisão teria sido tomada em reunião ocorrida hoje pela manhã na casa do Senador João Aberto, no Calhau.

Nenhuma surpresa até aqui. 


Da reunião teriam participado o Senador José Sarney, a governadora Roseana Sarney, o Ministro das Minas e Energia, Edson Lobão, o Secretário de Infraestrutura do Maranhão, Luís Fernando Silva, o Senador João Alberto, o Ministro do Turismo, Gastão Vieira, o Deputado Federal Pedro Novaes, o Deputado Federal Sarney Filho e o Secretário de Saúde do Maranhão Ricardo Murad.

Com a decisão, o grupo segue agora para o terreno da pré-campanha eleitoral.

As pesquisas de pre-campanha realizadas até aqui por todos os grupos apontam Luís Fernando bem aquém para um candidato que deve enfrentar um candidato forte da oposição e tem muito chão pela frente até atingir números satisfatórios para a corrida eleitoral.

Agora, é aquela coisa: se entrou na roda tem que sambar.

E como candidato do grupo que mantém a hegemonia política no estado há quase meio século Luís Fernando precisa acertar o passo até a o período da campanha propriamente dito.

E, a julgar pela cara do Senador Edson Lobão, a fritada tá feita.
 

   

CTB apoia veto de Dilma ao projeto que elimina multa do FGTS

O veto presidencial ao projeto de lei que acabava com a multa rescisória de 10% sobre o saldo do FGTS, devidas pelo patronato que praticam demissões imotivadas ou sem justa causa, aprovado recentemente pelo Congresso Nacional, merece total apoio da classe trabalhadora brasileira. A decisão dos parlamentares ocorreu apesar da oposição da CTB e outras centrais e foi mais uma demonstração da força do lobby capitalista no legislativo, também poderoso em relação à terceirização.

É preciso assinalar que a multa incide apenas sobre demissões sem justa causa, quando o patronato usa e abusa da propriedade dos meios de produção, ou seja, das empresas, para colocar o assalariado no olho da rua sem uma justificativa plausível e, no mais das vezes, com o propósito de rebaixar salários. Quem não usa mão do recurso da demissão sem justa causa, que não é permitida nos países onde vigora a Convenção 158 da OIT, não tem razão para temer a multa rescisória mantida pela presidenta.

Em função da liberdade sem peias que o patronato desfruta para admitir ou demitir a seu bel prazer, em detrimento da liberdade e do direito do trabalhador, o Brasil possui uma das mais altas e escandalosas taxas de rotatividade da mão de obra de todo o mundo, que explica o crescimento dos pedidos de seguro desemprego num momento em que o nível de emprego é elevado. O adicional de 10% nas indenizações devidas nos casos de demissões imotivadas serve para inibir as dispensas e, por consequência, a rotatividade.

Além disto, a renúncia aos recursos decorrentes da multa rescisória compromete investimentos “em importantes programas sociais e em ações estratégicas de infraestrutura, notadamente naquelas realizadas por meio do Fundo de Investimento do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço – FI-FGTS”, com forte impacto sobre “o Programa Minha Casa, Minha Vida, cujos beneficiários são majoritariamente os próprios correntistas do FGTS”, conforme assinalou a presidenta na justificativa do veto.

Basta de benesses ao capital. É hora de dar mais atenção às demandas das ruas por mais investimentos públicos em transporte, saúde, educação e segurança, fim do fator previdenciário, aumento das aposentadorias e valorização do trabalho.

São Paulo, 25 de julho de 2013

wagner-gomesWagner Gomes, presidente da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil

26 de julho de 2013

Ministro do Esporte Aldo Rebelo emite Nota Oficial esclarecendo viagem a Cuba

Nota de esclarecimento:
Viagem a Cuba foi a trabalho

A viagem do ministro Aldo Rebelo a Cuba foi amplamente divulgada pelos meios do próprio Ministério do Esporte e veículos da imprensa nacional e estrangeira.

Foi uma missão oficial. "Não fui passear em Cuba. Fui trabalhar, como mostra a agenda", afirma Aldo. Durante os dias em que permaneceram em Cuba, os dirigentes do Ministério do Esporte cumpriram vários compromissos.

O ministro foi recebido pelo vice-presidente do Conselho de Ministros da República de Cuba, Miguel Díaz, e pelo vice-ministro das Relações Exteriores de Cuba, Rogerio Sierra e se reuniu duas vezes com o presidente e diretores do Instituto Nacional de Esportes, Educação Física e Recreação (INDER) e com a direção da empresa Cubadeportes. Além disso, o ministro do Esporte visitou a Universidade das Ciências, Cultura Física e Deporte Manuel Fajardo.

Nesses encontros, foi concretizada a criação de grupos de trabalho e intercâmbio entre Brasil e Cuba neste período de preparação dos atletas brasileiros e da infraestrutura esportiva do Brasil para os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016. O ministério do Esporte e o INDER assinaram o acordo que cria o Grupo de Trabalho de Acompanhamento do Programa de Atividades para o triênio 2013/2016.

O secretário Nacional de Esportes de Alto Rendimento, Ricardo Leyser, e o diretor executivo da Agência Brasileira de Controle de Dopagem, Marco Aurelio Klein, também concretizaram acordos de cooperação em Havana.

Cuba vai colaborar com o Brasil na formação de fiscais de controle de dopagem. No futebol, o Ministério do Esporte, em parceria com a Federação de Futebol do Rio de Janeiro, vai oferecer um curso de árbitros para os cubanos. Os três melhores classificados farão estágio na federação carioca. Além disso, estão sendo acertadas as condições para que jogadores de futebol da categoria sub 20 também sejam recebidos para treinamentos em clubes brasileiros.

De Flávio Dino para o Papa Francisco: "Reze pelo Maranhão e pelo Brasil"

O Presidente da Embratur, o maranhense Flávio Dino, emocionou-se ao encontrar o papa Francisco hoje no Rio de Janeiro.

Dino aproveitou para entregar bandeira do estado ao Papa e pedir que "reze pelo Maranhão" e pela "saúde do Brasil, especialmente pelas crianças e jovens que sofrem e morrem em hospitais.".

Veja ao lado o que disse Dino na sua página no Facebook.

Professor, traga seus filhos e netos. Neste sábado, 27, tem 'SINPROESEMMA NAS FÉRIAS'

Os dois últimos finais de semana deste mês de julho têm lazer e descontração garantidas para os educadores, antes do retorno às salas de aula.

É o programa “Sinproesemma nas Férias”, espécie de 'Colônia de Férias' que acontece neste sábado, 27, na sede social do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Maranhão (SINPROESEMMA), localizada na Estrada de Ribamar, no Laranjal.

Este será o segundo final de semana do evento.

O anterior aconteceu no dia 20 de Julho e foi um sucesso.

Programação

Na atividade, a programação começa a partir das 09:00h e se estende até o final da tarde, com atividades esportivas, banhos de piscina para crianças e adultos, deliciosa feijoada no almoço, servida ao meio-dia, e atrações musicais que prometem alegrar as tardes dos educadores. Neste sábado 20 será a vez do grupo de pagode Conselho de Samba.

O coordenador do evento, o secretário de Cultura do SINPROESEMMA, Euges Lima, convida todos os educadores para a programação, que já se tornou uma tradição em todos os meses de férias de julho. “A nossa perspectiva é cada vez mais ampliar as alternativas de lazer e diversão para os associados do sindicato”, destaca o dirigente.

PROGRAMAÇÃO CULTURAL

DIA 27 DE JULHO – SÁBADO


9h – Brincadeiras para crianças (pula-pula, castelo)
9h – Futsal
9h – Dama, com a participação de Zezinho (dez vezes campeão brasileiro da categoria)
9h – Sinuca
9h – Massagem
10h – Hidroginástica
12h30 – Feijoada
13h30 – Atração musical – PAGODE CONSELHO DO SAMBA, com três horas e meia de duração
18h – Encerramento

Artigo do Lula no New York Times: 'A mensagem da juventude do Brasil'

A mensagem da juventude do Brasil


Os jovens, dedos rápidos nos celulares, tomaram as ruas ao redor do mundo.

Seria mais fácil explicar esses protestos quando ocorrem em países não-democráticos, como no Egito e na Tunísia em 2011, ou em países onde a crise econômica aumentou o número de jovens e trabalhadores desempregados a níveis assustadores, como na Espanha e na Grécia, do que quando surgem em países com governos democráticos populares – como o Brasil, onde nos beneficiamos atualmente de uma das mais baixas taxas de desemprego de nossa História e uma expansão sem paralelo dos direitos econômicos e sociais.

Muitos analistas atribuem os protestos recentes a uma rejeição da política. Eu acho que é precisamente o oposto: eles apontam no sentido de ampliar o alcance da democracia e incentivar as pessoas a tomar parte mais plenamente (da democracia).

Eu só posso falar com autoridade sobre o meu país, Brasil, onde eu acho que as manifestações são em grande parte o resultado de sucessos sociais, econômicos e políticos. Na última década, o Brasil duplicou o número de estudantes universitários, muitos vindos de famílias pobres. Nós reduzimos fortemente a pobreza e a desigualdade. Estas são conquistas importantes; no entanto, é perfeitamente natural que os jovens, especialmente aqueles que obtiveram o que seus pais nunca tiveram, desejem mais.

Esses jovens não viveram a repressão da ditadura militar de 1960 e 1970. Eles não viveram a inflação da década de 1980, quando a primeira coisa que fazíamos quando recebíamos o nosso contracheques era correr para o supermercado e comprar o que fosse possível, antes que os preços subissem novamente no dia seguinte. Eles se lembram muito pouco da década de 1990, quando estagnação e o desemprego deprimiam nosso país. Eles querem mais.

É compreensível que seja assim. Eles querem serviços públicos de melhor qualidade. Milhões de brasileiros, incluindo os da classe média emergente, compraram seu primeiro carro e começaram a viajar de avião. Agora, o transporte público tem que ser eficiente, para tornar a vida nas grandes cidades menos difícil.

As preocupações dos jovens não são apenas materiais. Eles querem mais acesso ao lazer e a atividades culturais. Acima de tudo, eles exigem instituições políticas mais limpas e mais transparentes, sem as distorções do sistema político e eleitoral anacrônico do Brasil, que, recentemente, se mostraram incapazes de se reformar. Não se pode negar a legitimidade dessas demandas, mesmo que seja impossível alcançá-las rapidamente. É necessário, primeiro, encontrar fundos, fixar objetivos e estabelecer prazos.

Democracia não faz acordo com o silencio. Uma sociedade democrática está sempre em fluxo, a debater e definir prioridades e desafios, em constante busca de novas conquistas. Só numa democracia um índio poderia ser eleito presidente da Bolívia, um afro-americano ser eleito presidente dos Estados Unidos. Só numa democracia, pela primeira vez, um metalúrgico e, em seguida, uma mulher poderiam ser eleitos presidente do Brasil.

A História mostra que, quando os partidos políticos são silenciados e as soluções são impostas pela força, os resultados são desastrosos: guerras, ditaduras e a perseguição das minorias. Sem partidos políticos não pode haver nenhuma democracia verdadeira. Mas as pessoas não desejam simplesmente votar a cada quatro anos. Elas querem interação diária com os governos locais e nacionais, e participar da definição de políticas públicas, oferecer opiniões sobre as decisões que as afetam no dia a dia.

Em resumo, elas querem ser ouvidas. Isso é um enorme desafio para os líderes políticos. Isso requer melhores formas de participação, através dos meios de comunicação social, no local de trabalho e nas universidades, para reforçar a interação com trabalhadores e líderes comunitários, mas, também, com os chamados setores desorganizadas, cujos desejos e necessidades não devem ser menos respeitados porque não tem organização.

Diz-se, e com razão, que a sociedade entrou na era digital e a política permaneceu analógica. Se as instituições democráticas utilizassem as novas tecnologias de comunicação como instrumento de diálogo e não, apenas, para propaganda, elas passariam a respirar ar mais fresco. E com isso estariam mais em sintonia com toda a sociedade.

Mesmo o Partido dos Trabalhadores, que eu ajudei a fundar, e que tem contribuído para modernizar e democratizar a política no Brasil, precisa aprofundar a renovação. Precisa recuperar suas ligações diárias com os movimentos sociais e oferecer novas soluções para novos problemas, e fazer as duas coisas sem tratar os jovens paternalisticamente.

A boa notícia é que os jovens não são conformistas, apáticos ou indiferentes à vida pública. Mesmo aqueles que pensam odiar a política estão começando a participar. Quando eu tinha a idade deles, eu nunca imaginei que iria me tornar um militante político. No entanto, criamos um partido político quando descobrimos que o Congresso Nacional praticamente não tinha representantes da classe trabalhadora. Através da política conseguimos restaurar a democracia, consolidar a estabilidade econômica e criar milhões de empregos.

Claramente ainda há muito a fazer. É uma boa notícia que os nossos os jovens queiram lutar para que a mudança social siga em um ritmo mais intenso.

A outra boa notícia é que o presidenta Dilma Rousseff propôs um plebiscito para promover as reformas políticas tão necessárias. Ela também propôs um compromisso nacional para a Educação, a Saúde e o Transporte Público, em que o Governo Federal dará apoio financeiro e técnico substancial a Estados e Municípios.

Quando falo com jovens líderes no Brasil e em outros lugares eu gosto de dizer: mesmo se você perder a esperança em tudo e em todos, não dê as costas à Política. Participe! Se você não encontrar nos outros o político que você procura, você pode encontrá-lo ou encontrá-la em você mesmo.

Luis Inácio Lula da Silva foi presidente do Brasil e agora trabalha em iniciativas globais, no Instituto Lula.

(Tradução de Murilo Silva e Paulo Henrique Amorim)

25 de julho de 2013

Imperdível! Ouça aqui a música preferida do 'manifestante coxinha'


Atenção, médicos, coxinhas ou não, prazo para inscrição no 'Mais Brasil' termina hoje

Termina hoje, 25, o prazo para inscrição de municípios no programa Mais Médicos.

No Estado do Rio, até a última segunda-feira, 27 dos 92 municípios cadastraram-se no projeto - quatro deles prioritários, ou seja, com carência de profissionais da saúde. Em todo o Brasil, increveram-se, até agora, 1.874 cidades.

Segundo o Ministério da Saúde, em todo o País, estão sendo investidos R$ 15 bilhões na infraestrutura da rede pública de saúde. Deste valor, R$ 7,4 bilhões serão usados na construção de 818 hospitais, 601 Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs) e de 16 mil unidades básicas de saúde, R$5,5 bilhões na reforma e ampliação de unidades básicas e UPAs e R$ 2 bilhões em 14 hospitais universitários.

O programa Mais Médicos criará cerca de 11,5 mil vagas para médicos e 12 mil para residentes, em todo o Brasil, diz a nota. O objetivo do projeto é fortalecer a atenção básica, resolvendo, assim, 80% dos problemas de saúde sem que as pessoas precisem recorrer a hospitais. "O que faz a diferença no atendimento à população é o médico presente na unidade básica de saúde perto de casa", enfatizou, em nota, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha.

O projeto faz parte de um plano para melhoria de atendimento aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), objetivando ampliar o número de médicos em regiões carentes, como municípios do interior e periferia das grandes cidades, e acelerar os investimentos em hospitais e unidades de saúde.

Fonte: Portal Terra

Educação em Cuba: um modelo a ser seguido pelo mundo

A educação é um assunto de primeira ordem para todas as nações. Então por que no Brasil ela ainda carece tanto de recursos e estrutura? Para Roberta Traspadini, professora da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM), a atual falência do modelo brasileiro de educação está diretamente relacionada à vitória do capital transnacional, uma herança da década de 1990.

Ao comparar o Brasil com Cuba, a pesquisadora avaliou que "o modelo educacional brasileiro é oposto de Cuba. O cotidiano manifesta, por si só, o fracasso da universalidade, gratuidade e supremacia do público no sistema educativo brasileiro, sendo oposto ao modelo cubano".

Segundo ele, relatório mundial da Unesco sobre educação em 2011, fez uma radiografia do sistema cubano e explicitou porque este país é um exemplo concreto para o mundo de uma educação exitosa.

"O artigo 205 da constituição cubana garante a educação pública, gratuita e de qualidade para todos os seus cidadãos, independente da posição socioeconômica na qual se encontram. Mas é o artigo 39 o que chama mais atenção, quando afirma três princípios básicos revolucionários de uma educação de qualidade: a. Garantia de avanço na ciência e na tecnologia; b. Referencial marxista e martiano de ser social que se pretende formar; c. Demarcação da tradição pedagógica progressista cubana e universal", esquadrinhou a pesquisadora.

Ainda segundo dados da Unesco, a população cubana é de 11.247.925, sendo que 2.193.312 matriculados nas respectivas faixas etárias educativas, 9.673 escolas públicas, 298.508 professores, 170 mil bolsistas, e 908 mil estudantes em escolas semi-internas. Entre 2010 e 2011, formaram-se 85.757 cubanos, 23,4% em cursos técnicos, 31,4% em ciências médicas, 14,9% em pedagogia, 9.9% em economia e 20,4% em outras áreas.

Roberta Traspadini explica que esses dados são r3esultado de um investimento que gira em torno de 30% do PIB cubano, que é de U$60 bilhões, com educação, saúde e garantias sociais.

E o caso brasileiro?

A pesquisadora aponta que, no caso do Brasil, o orçamento público de 2011 foi de aproximadamente R$1,5 trilhões. Deste total, 45% foram gastos com o pagamento de dívidas e amortizações e 3% foram gastos com educação, seja ela pública ou em parceria privada, segundo a auditoria cidadã da dívida.

"A educação pública virou um grande negócio. Cantinas terceirizadas, venda de uniformes e de materiais escolares, sucateamento da merenda escolar. Isto, somado à falta de recursos para a qualificação profissional e às péssimas condições da superexploração da força de trabalho, mostra a real face mercantil da educação pública brasileira", refletiu Roberta Traspadini.

Fonte: http://www.vermelho.org.br/radio/noticia.php?id_noticia=219459&id_secao=331

24 de julho de 2013

8º Encontro Nacional de Funcionários da Educação começou em Maceió, Alagoas, e segue até Sábado, 27

A luta da educação pública em Alagoas terá um mês de julho histórico com a realização em Maceió, no período de 24 a 27, no auditório do Maceió Atlantic (antigo Hotel Meliá), em Jatiúca, do 8° Encontro Nacional de Funcionários/as da Educação, com a presença, em nossa capital, de cerca de 300 companheiras/os para debater e decidir sobre importantes temas e "eixos" de luta como carreira, direitos, legislação, valorização, entre outras questões.

A escolha de Alagoas para a realização do encontro, segundo a presidenta do Sinteal, professora Consuelo Correia, "é uma vitória na nossa luta contra uma conjuntura política muito difícil para os funcionários e funcionárias em educação, devido aos ataques praticados pelo governo estadual contra a categoria. A situação piorou e retrocedeu aqui em nosso estado".

O Encontro Nacional de Funcionários/as da Educação terá a presença do ex-deputado federal e ex-presidente da CNTE, Carlos Abicallil (que tratará do "Marco regulatório e políticas de formação e valorização profissionais da educação"), e tratará também de temas como "O papel das/os funcionárias/os da educação no contexto escolar e o reconhecimento dessas/es trabalhadoras/es nos planos de carreira da educação", "Piso salarial profissional nacional e o financiamento da educação", "Os desafios da democratização da gestão escolar na visão das/os funcionárias/os da educação" e "A terceirização e os desafios para a superação de suas conseqüências".

Programação

Dia 24/07
16h00 às 20h00 – Credenciamento
19h00 - Atividade Cultural
19h30 - Abertura
20h00 - Mesa: Conjuntura política e educacional.
Palestrante: Sandra Lucia Lira (UFAL)

Dia 25/07
07h30 às 08h30 – Credenciamento
08h30 às 10h30 – Mesa: Financiamento da Educação: desafios para regulamentação do piso salarial e das diretrizes nacionais de carreira.
Palestrantes: Milton Canuto (Vice Presidente da CNTE) e Marta Vanelli (Secretária Geral da CNTE)
10h30 às 10h45 – Coffee break
10h45 às 12h15 – Mesa: A terceirização e os desafios para a superação de suas consequências.
Palestrante: Jacy Afonso (Secretário de Organização e Política Sindical - CUT)
12h15 às 14h00 - Almoço
14h00 às 16h45 – Mesa: As políticas curriculares para a profissionalização dos funcionários à luz da Lei nº 12.796.
Palestrantes: João Monlevade (Consultor do Senado Federal) e Maria Cristina Madeira da Silva (IFAC)
16h45 às 17h00 – Coffee break
17h00 às 18h45 – Mesa: Violência nas escolas e a saúde dos trabalhadores em educação.
Palestrante: Ione Vasquez (Professora Doutora da UnB)
20h00 - Jantar de confraternização

Dia 26/07
Manhã – Livre
12h00 – Almoço
13h45 às 15h45 – Mesa: Marco regulatório para a valorização dos profissionais da educação.
Palestrante: Fátima Cleide (Ex-senadora da República)
15h45 às 16h00 – Coffee break.
16h00 às 18h00 – Mesa: Os desafios da democratização da gestão escolar na visão dos funcionários da educação.
Palestrante: Luiz Dourado (UFG)

Dia 27/07
08h00 – Plenária final
11h30 – Atividade Cultural
12h00 – Encerramento
12h30 – Almoço

SINRAD-MA lamenta a morte do radialista Rayol Filho

O Sindicato do Radialistas do Maranhão (SINRAD-MA) lamenta com pesar a morte do radialista Rayol Filho, na madrugada do dia 19, aos 69 anos.

José Marinho Rayol Filho deu sua contribuição na fase áurea do rádio do Maranhão, compondo a equipe histórica que fez do rádio local uma referência de qualidade. Teve passagens pela rádio Difusora AM, onde se tornou conhecido pela sua bela dicção.

Rayol Filho também trabalhou na primeira fase da TV Difusora, compondo uma equipe histórica que foi pioneira na Radiodifusão maranhense. Sua morte é um pedaço da história do rádio maranhense que se vai, sendo uma perda irreparável aos companheiros que acompanharam sua trajetória.

Fonte: http://www.sinradma.org/2013/07/sinrad-ma-lamenta-morte-do-radialista.html

“Joaquim Barboza foi muitíssimo mal educado”, diz ao Blog o Presidente Nacional da UNEGRO, Edson França

“Joaquim Barboza foi muitíssimo mal educado”, foi o que disse com exclusividade ao Blog o Presidente da União Nacional de Negros pela Igualdade, UNEGRO, Edson França, sobre a maneira ‘insubordinada’ com que o Presidente do Supremo tribunal Federal comportou-se ao não cumprimentar a autoridade máxima do país, a Presidenta Dilma, quando da recepção ao papa Francisco na chegada ao Brasil.

Edson fez questão de frisar que a postura de Barbosa não tem nada a ver com o fato dele ser negro, mas com a própria “educação individual do cidadão Joaquim Barboza” que passou longe de qualquer civilidade.

“Ele desrespeitou a Presidenta da República e o povo brasileiro. Dilma chegou lá não por que alguém indicou, mas sim porque foi eleita de maneira democrática pelo voto direto do povo brasileiro.”, enfatizou o dirigente da UNEGRO.

Edson lembrou ainda que Joaquim Barboza é o primeiro e único negro Ministro do Supremo Tribunal Federal e a UNEGRO valoriza o fato de os negros serem incorporados dessa maneira, mas emendou: “repudiamos qualquer fala ou comentário de quem quer que seja tentando associar a ‘insubordinação’ de Joaquim Barboza com a cor da pele. Essa atitude tem a ver exclusivamente com o ‘indivíduo’ Joaquim Barboza e não com a cor da pele dele. ”.

“O ato foi do cidadão Joaquim Barboza e não é a opinião da população negra do Brasil. Nós temos que condenar a atitude de Joaquim Barboza.”, conclui o Presidente da UNEGRO.

Abaixo o momento em que Barboza comete a maior ‘gafe’ de sua vida.


Júlio Pinheiro debate ações para o PPA na Área Itaqui-Bacanga e defende escolas de tempo integral para toda a região


O professor Júlio Pinheiro, participou em São Luís da primeira rodada de debates para a elaboração do Plano Plurianual (PPA) a cidade. O evento aconteceu na terça, 23, no Auditório principal do Centro Pedagógico Paulo Freire, no Campus da UFMA, no Bacanga.


O PPA serve para orientar a gestão municipal no período de 2014 a 2017 em diversas áreas e deve seguir calendário com rodadas em outros bairros.

Júlio Pinheiro é professor da Rede Municipal de ensino, lotado no Centro de Ensino Carlos Madeira, no anjo da Guarda, e faz questão de frisar que como “morador do Anjo da Guarda e militante popular naquela comunidade, enfrento os mesmos problemas e vivo os mesmos dramas diários de milhares de famílias ávidas por qualidade de vida para seus filhos e filhas.”.

Júlio Pinheiro disse que foi ao debate “para contribuir entre outros aspectos, com a educação, no que diz respeito ao ensino fundamental, que é a responsabilidade da prefeitura de São Luís.”.

“Como morador tenho a responsabilidade de interferir nessa discussão junto com outras entidades e lideranças da área de maneira sintonizada. E é assim que trabalhamos.”., enfatizou Pinheiro.
Júlio lembrou que a área Itaqui-Bacanga é muito grande, com uma população imensa, e que precisa da atenção de todos, sobretudo do poder público. “Temos experiência na área de educação e queremos ajudar também em outras áreas com problemas mais crônicas.”

Para Júlio pinheiro “A comunidade deve participar de maneira muito forte desse processo de construção do PPA. É dever do estado, mas é também papel das famílias a defesa de uma educação pública de qualidade, uma saúde digna para todos, transporte público, mobilidade urbana, segurança, também são temas na ordem do dia das famílias daquela área.”.

Júlio destacou ainda que como medida importante que causará impacto de imediato na região e que tem o apoio de todos é a garantia do funcionamento pleno das escolas da área Itaqui bacanga onde os anexos tornaram-se regra.

Júlio lembrou o caso de escolas como a Escola Carlos Madeira que foi lacrada porque não tinha mais condições de funcionar.

No debate foi exigido intervenções e garantias de melhorias na estrutura das escolas.

“Temos escolas com padrão adequado. Mas temos na área Itaqui Bacanga o problema dos anexos. Há uma demanda forte e os governos que se passaram optaram pelos tais anexos, que viraram ‘armazéns de crianças’. Precisamos acabar com isso e dar outras opções às famílias.”, disse Júlio Pinheiro.

Como saída imediata, Júlio propôs “a regularização do funcionamento pleno das escolas e, ao mesmo tempo, a construção de pelo menos 02 Escolas de Tempo Integral. A primeira no Anjo da Guarda e a segunda em área da Vila Embratel. Para, em seguida, construir escolas em todos os bairros da área Itaqui Bacanga.”, para absorver os alunos dos anexos e melhorar a oferta do ensino na Região.

Júlio lembrou que há um propósito muito firme da prefeitura e do prefeito Edvaldo Holanda Júnior de construir as escolas em tempo integral e melhorar a estrutura nas atuais escolas e emendou dizendo que “O novo governo deve contribuir para que avance a qualidade de ensino. E para acontecer é necessário garantir a estrutura.”.


“Por isso foi salutar e importante o debate e estarei sempre à disposição. Primeiro por ser morador da área e entender a demanda da comunidade e segundo por ser professor e defensor da melhoria da qualidade dos serviços ofertados pelo poder público à sociedade.”, concluiu o Professor Júlio Pinheiro.

19 de julho de 2013

A força da internet marcou os debates no segundo dia do Curso Nacional de Comunicação do Instituto Barão de Itararé

O segundo dia do Curso Nacional de Comunicação foi direcionado para o mundo da internet.

No primeiro Bloco de exposições o Jornalista e Presidente do Barão, Altamiro Borges, abordou o tema “O papel da blogosfera”.

Miro fez importantes esclarecimentos sobre a força da Rede Mundial de computadores e a ação da chamada Blogosfera que reúne milhões de Blogs e outras ferramentas no mundo inteiro.

Miro chamou a atenção para as mobilizações recentes nas chamadas ‘jornadas de junho’ no Brasil, a revolta dos indignados na Espanha, a primavera dos povos no Egito, e outros.

De acordo com Miro, as manifestações no Brasil, por exemplo, começaram por melhorias no transporte público urbano expresso simbolicamente nos cartazes na forma dos ‘R$ 0,20 centavos’. Logo em seguida, em função da reação brutal da PM a mando do governador paulista tucano, Geraldo Alckmim, a população resolveu continuar nas ruas e ampliar as mobilizações.

A rede entrou aqui como fator decisivo na hora de mobilizar para que a ação surgida das ruas tomasse vigor transformando-se rapidamente em ação coletiva, organizando milhares de jovens absolutamente ávidos, sobretudo por melhorias na mobilidade urbana.

Miro fez também um histórico da internet no mundo e a chegada desse instrumento ao Brasil. “A internet é um evento novo no Brasil mas é um agente mobilizador. E não é ela que faz o movimento. O movimento vem das ruas, das necessidades do povo. A internet cumpre papel mobilizador e influencia diretamente na disputa do simbólico na sociedade.
A internet facilita o movimento.”.

Dessa forma, a internet mudou a cara da comunicação social no Brasil, mesmo sendo um evento recente, mas que serve de contraponto por ser um meio relativamente barato, mais acessível, irreverente, com muito diálogo, com opiniões conservadoras, mas com amplas possibilidades democráticas.

Miro disse enfaticamente que “se o movimento social não investir e planejar pesadamente nesse meio terá sérios problemas no futuro.”.

Em seguida o Jornalista e Editor do blog ‘Vi o Mundo’, Luís Carlos Azenha, abordou o tema “TV WEB e a sedução do vídeo”.

Antenado com as novas linguagens em TV, Azenha fez uma intervenção mais técnica, destacando as ferramentas adequadas disponíveis na própria internet.

Como blogueiro e jornalista, Azenha apresentou também dicas sobre linguagens mais sintonizadas com o espírito da Rede.

Em seguida, o radialista e jornalista Oswaldo Colibri, a radialista Vivian Fernandes, ambos da Rádio Brasil Atual, RBA e da Rede Brasil Atua e ainda o radialista e DJ, Maycon Ramizi, trataram o tema “Como montar uma Rádio WEB”.

Durante a exposição destacaram tecnicamente questões sobre grade de programação, instrumentos de apoio para a produção e a construção das emissoras na Internet. Foram sugeridos softwares e linguagens próprias e ainda equipamentos para produção de matérias.

Na última exposição do dia, a Blogueira Conceição Oliveira, Editora de um dos Blogs mais acessados do Brasil, o ‘Blog da Maria Frô’, expôs o tema “A força das Redes Sociais”.

Conceição apresentou inúmeros dados que expressam a força da ferramenta ‘Rede Social’.

Destacou que o Brasil é o 5º maior usuário de Redes Sociais no Mundo chegando a quase 84 milhões de usuários.

Outra informação interessante apresentada é que dos mais de 100 milhões de computadores no País, 87% acessam as Redes pelo menos uma vez por semana.

Conceição também destacou que embora o Brasil esteja entre os 05 que mais acessam as Redes, produzimos muito pouco em termos de conteúdo. “precisamos avançar.”.

Aqui, Conceição enfatiza que as redes sociais funcionam como no dia a dia das pessoas. “Não temos que impor ou ‘dar carteiradas’ naqueles que frequentam o ambiente das Redes.”, disse.

A blogueira apresentou as Redes Sociais como um espaço em disputa e fez um chamado: “Isso tudo veio pra ficar e por isso é necessário ir para o enfrentamento.”.





18 de julho de 2013

Em Nota de Repúdio PCdoB cobra que Ministério Público "investigue tão grave confissão" de blogueiro do Grupo Sarney

O Diretório Estadual do PCdoB no Maranhão emitiu Nota de Repúdio contra o editor do jornal do grupo Sarney, Marco Aurélio Deça. 

A Nota é assinada pelo Presidente em exercício do Partido, Etelvino Oliveira.

Essencialmente a Nota repudia a "ilegalidade confessada" pelo Jornalista quando em postagem publicada em seu Blog afirma expressamente que "O Blog RECEBEU UMA SÉRIE DE EXTRATOS DE MENSAGENS ELETRÔNICAS trocados entre lideranças políticas (...)".

Se isso não é uma confissão o que é então?

A repercussão foi imediata em função do que representa Flávio Dino hoje para a possível mudança política no comando do estado. 

A sociedade maranhense está cansada de ataques do grupo Sarney contra adversários políticos que ameaçam a hegemonia política de quase meio século do grupo no Maranhão. 

E mais. 

O ataque atinge não só a imagem de um homem honrado como Flávio Dino mas, o que é mais grave, fere mortalmente princípios democráticos e republicanos expressos na Carta Magna do País.

O caso é grave e merece a atenção especial do Ministério Público e, inclusive, da Polícia Federal, que deve investigar as afirmações postadas pelo jornalista.

O PCdoB cobra " publicamente que o Governo do Estado se pronuncie, que o sistema Mirante analise a conduta do seu jornalista e que o Ministério Público investigue tão grave confissão."

Leia abaixo a íntegra da Nota.  

NOTA DE REPÚDIO

O PCdoB vem a publico manifestar o seu repúdio contra a ilegalidade confessada pelo Sr. Marco Aurélio D'Eça, jornalista do grupo de comunicação pertencente ao senador José Sarney.

A obtenção e o uso de "extrato de mensagens eletrônicas", sem autorização judicial, são atos criminosos e métodos execráveis para a perseguição política de adversários.

Dada a relação profissional e pessoal que o citado jornalista mantém com o aparato governamental, é essencial investigar se vem dessa origem o tal "extrato de mensagens eletrônicas", supostamente interceptando a correspondência de dirigentes do PCdoB.

Importante ressaltar que há vários dias o deputado federal Simplício Araújo e o deputado estadual Raimundo Cutrim estão denunciando a existência de um esquema de espionagem e grampos ilegais mantidos por agentes da oligarquia maranhense, especialmente pelo secretário Aloisio Mendes.

Por isso, estamos cobrando publicamente que o Governo do Estado se pronuncie, que o sistema Mirante analise a conduta do seu jornalista e que o Ministério Público investigue tão grave confissão.


Exigimos que os direitos constitucionais e a privacidade dos dirigentes do PCdoB sejam respeitados por nossos adversários, assim como respeitamos os deles.

Esse é um bom momento para o senador José Sarney, que tanto alega possuir compromisso com a democracia brasileira, demonstrar isso na prática, em relação à conduta de um empregado da sua empresa de comunicação.

Finalmente, manifestamos a nossa solidariedade com as Câmaras Municipais e com os vereadores, agredidos de modo absurdo pelo jornalista Marco D'Eça, com base no tal "extrato de mensagens eletrônicas”.

Etelvino Oliveira
Presidente em exercício

Curso Nacional de Comunicação do 'Instituto Barão de Itararé' tem início com presença de Paulo Henrique Amorim

O Instituto de Estudos da Mídia alternativa Barão de Itararé fez a abertura ontem em São Paulo da 2ª Turma do 1º Curso Nacional de Comunicação.

O Curso é destinado a profissionais de comunicação de todo o País.


Do Maranhão participam o jornalista Ribamar Praseres e o radialista e Blogueiro Marden Ramalho.

O Presidente do Instituto, Jornalista e Blogueiro, Altamiro Borges abriu os trabalhos destacando a missão do Instituto Barão de Itararé e fez ao mesmo tempo abordagem dos objetivos do Curso.

Segundo Miro, “O curso é para dar elementos aos participantes para fazer a comunicação social alternativa no Brasil.”

Na Mesa de Abertura o tema central foi “A luta pela Democratização da Comunicação” no Brasil.

Como palestrantes foram convidados Paulo Henrique Amorim, jornalista da Record e do Blog Conversa Afiada, Rosane Bertoti, Coordenadora Nacional do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação,  FNDC, e Renata Mieli, Secretária Geral do Instituto Barão de Itararé.

Paulo Henrique Amorim, jornalista experiente trouxe informações importantes sobretudo as que denunciam as dívidas brutais das Organizações Globo com o Estado brasileiro e as constantes tentativas de sonegar o pagamento dessas dívidas que, somadas, chegam a mais de 1 bilhão de reais.

Paulo Henrique traçou ainda um panorama sobre os bastidores do mundo político no Planalto Central. Trouxe também informações importantes sobre os processos judiciais contra a Globo e, o mais grave, que o Blog deve abordar num outro momentomais adequado, foi a suspeita, por enquanto pessoal do jornalista, de que o Brasil pode estar mudando os rumos da sua política externa agora no governo Dilma, desviando-se do eixo Sul-Sul para buscar apoio no eixo Sul-Norte, rumo aos EUA e à sua 'importância' para que o Brasil possa viver mais perto do desenvolvimento a partir do ponto de vista do governo norte americano.

No fundamental, Paulo Henrique falou o que pensa e disse isso de maneira muito correta e concordou no final de sua exposição e dos debates que o Brasil vive momento importante para aprofundar e fortalecer sua democracia, permitindo a participação cada vez mais ampla, sobretudo dos jovens, nos debates e nas decisões importantes sobre o desenvolvimento nacional.

Rosane Bertoti, do FNDC, abordou diretamente a luta pela aprovação do Projeto de Lei de Iniciativa Popular que regulamenta artigos da Constituição Federal que tratam da Comunicação Social.

Rosane fez um chamado aos sindicatos, ao Movimento Social organizado, a todos, para abraçar essa bandeira de corpo e alma: “Essa é uma luta de toda a sociedade brasileira porque democratizar a mídia é contribuir diretamente para avançar e consolidar a democracia brasileira.”.

Renata Mieli, do Barão, fez importante diferença entre Liberdade de expressão e liberdade de imprensa.

Para Mieli “liberdade de imprensa é apenas uma forma de liberdade de expressão enquanto a liberdade de expressão é algo que envolve outros direitos relacionados às pessoas.".

Renata disse: “ Não se pode comparar liberdade de expressão com liberdade de imprensa, pois são coisas diferentes.”.

A Secretária Geral do Barão foi enfática: “precisamos enfrentar esse debate para que possamos construir um projeto de Nação para todos.”

O segundo dia do evento está em andamento.

O jornalista Altamiro Borges faz abordagem sobre o “A força da Internet” e o Jornalista e Blogueiro Luís Carlos Azenha fala também sobre “TV WEB e a sedução do vídeo.”

Outras informações e imagens daqui a pouco no Blog.